Vamos voltar?

Um mês longe é muito tempo, eu reconheço, mas havia outras coisas lá fora me esperando. Mesmo assim, nada acabou, o blog continua firme e forte.

Para voltar em grande estilo, o entrance de Aurora, de A Bela Adormecida, com a Evgenia Obraztsova linda e reluzente!

E vamos seguir, há muito ballet pela frente!

“Entrance de Aurora”, A Bela Adormecida, Bolshoi Ballet, Evgenia Obraztsova.

Paquita no segundo ato

Está faltando um pouco de ballet clássico neste lugar. Vamos resolver isso?

Esta variação é do grand pas de deux do segundo ato de Paquita, o entrance e o adágio já foram vistos aqui. É linda e delicada, para iluminar até o dia mais cinzento. Sem falar que é dançada por quem? A minha sempre querida Aurélie Dupont.

“Variação de Paquita”, segundo ato, Paquita, Ópera de Paris, Aurélie Dupont.

Um apanhado de links

Há dias não escrevo um post e estou enrolada com uma série de coisas. Inclusive, estou devendo a pesquisa sobre a opinião de vocês a respeito das escolas de dança. Ela virá em breve, prometo!, mas não posso deixar o blog sem nada novo por tantos dias.

Para não publicar um “vídeo tapa-buraco”, separei alguns posts interessantes sobre dança.

Danses avec la plume: Une histoire du (néo)classique en 10 ballets
Uma das grandes dúvidas entre estudantes de dança, nem sempre conseguimos distinguir o ballet clássico do neoclássico. Confesso, eu me perco às vezes. A única maneira de compreender as diferenças é assistindo a ballets. Nessa lista, há 10 obras neoclássicas listadas em ordem cronológica. Os títulos das obras estão no original, mas vale a pena ler o texto completo. Não sabe francês? Qualquer tradutor online dará conta do recado.
Para acessar o link, aqui.

Deu baile: Veja as fotos mais incríveis do Bolshoi no Brasil
Para quem não conseguiu assistir ao Bolshoi, para quem assistiu e quer relembrar, as belas fotos de Clarissa Lambert farão todo mundo suspirar.
Para acessar o link, aqui.

Razões para acreditar: Jovem de 20 anos com autismo severo se recupera com ajuda do balé
Aos três anos, Philip Martin-Nielson não falava, não fazia contato visual e não permitia que o tocassem. Depois de começar a fazer terapia, ginástica e esportes, ele adquiriu a habilidade de falar e pediu para dançar. Aos seis anos, ele fez sua primeira aula de ballet. Hoje, ele é bailarino do Les Ballets Trockadero de Monte Carlo. A dança tem um poder transformador muito maior do que imaginamos.
Para acessar o link, aqui.

Razões para acreditar: Escola italiana proporciona experiências sensoriais enquanto ensina crianças a pintar e dançar
Não é ballet, mas como não compartilhar este encanto: um laboratório de dança-desenho para crianças em que elas pintam enquanto estão presas a pêndulos de tecido. Assistimos ao vídeo e morremos de vontade de fazer igual!
Para acessar o link, aqui.

Palavra Cantada

A música “Balé”, da Palavra Cantada, é uma graça! A gente ouve uma vez e cantarola por dias seguidos.

* * *

Pisar no chão com a ponta do pé
Tocar o céu com a palma da mão
Manter ereta a postura
Amolecer a cintura
Balé precisa de dedicação

O bê-a-bá é o pas de bourrée
Depois vem o pas de deux, dois plié
Nasci pra ser bailarina
É só por a sapatilha
Já sinto bater o meu coração

Papai um dia me deu um conselho
Treinar sozinha na frente do espelho
Às vezes sonho que estou dando um salto
E caio bem no meio de um palco

Tocar o céu com a ponta do pé
Pisar no chão com a palma da mão
Com longos alongamentos
O corpo é um instrumento
Balé precisa de dedicação

“Balé”, Pé com Pé, da Palavra Cantada.