Um minuto de delicadeza

Pensei em utilizar este vídeo de várias maneiras: para falar sobre figurino (em quase sete anos de blog, nunca escrevi sobre esse assunto), como exemplo de musicalidade (prestem atenção nos momentos finais, que coisa linda!), para dar boas-vindas ao último mês do ano (dezembro está logo aí e várias apresentações de O Quebra-Nozes, também ), mas não resisti. Ele vale por si só.

A variação sequer está completa, mas não tem importância. É ou não é uma delicadeza sem fim?

Trecho da “Variação da Fada Açucarada”, O Quebra-Nozes, Pacific Northwest Ballet, Elizabeth Murphy.

Vocês querem o livro em papel?

Em um período de dois anos, eu lancei três livros. O primeiro foi, justamente, uma compilação de textos do blog, o “Dos passos da bailarina”.

A princípio, o objetivo não era publicar um livro “para valer”, mas apenas uma seleção de textos para vocês terem sempre a mão, para consultar quando quisessem. Não havia necessidade de um livro de papel, ter o arquivo seria suficiente.

Mas, desde o lançamento me pedem a versão em papel. Para isso, eu revisaria o livro e adaptaria algumas coisas, mas o conteúdo seria o mesmo.

Para saber a opinião de vocês, por favor, respondam à enquete.

A resposta de vocês é muito importante. Vamos participar? É rapidinho. A enquete ficará disponível por uma semana.

A Ballerina’s Tale

“Eu sou uma bailarina negra. É quem eu sou, é uma grande parte da minha história.”
Misty Copeland, no documentário “A Ballerina’s Tale”.

É difícil encontrar alguém do ballet que não conheça a Misty Copeland. Primeira bailarina negra a ser nomeada para o posto principal do American Ballet Theatre, uma das principais companhias dos Estados Unidos, ela conquistou o seu espaço com talento e persistência. Em um mundo onde o racismo persiste, ela é exceção quando deveria ser a regra. Que o caminho aberto por ela seja uma grande porta para outras grandes bailarinas negras que estão para chegar.

“A Ballerina’s Tale” é o documentário sobre a sua vida e sua história. Assistam ao trailer. Quando o filme estrear, ou surgir pela internet afora, avisarei vocês.

Trailer do documentário “A Ballerina’s Tale”.

O motivo da minha ausência

Há meses o blog não é atualizado o quanto deveria ser, cheguei a ficar um mês sem postar. Mas teve um motivo, um bom motivo. Passei esse tempo todo preocupada com outra coisa: o meu novo livro.

Em 2013, lancei uma compilação de textos do blog, o “Dos passos da bailarina”. Ano passado, foi a vez de uma seleção de textos escritos ao longo de dez anos, o “Primeira frase de um livro não escrito”. Agora foi a vez do meu primeiro livro inédito, “Virgínia”. Não é sobre dança, é literatura.

***

“Eu morava em uma casa que chorava.”

Quatro mulheres de uma mesma família viveram juntas por muitos anos até o momento em que a mais nova, Virgínia, se viu sozinha na vida. O que teria acontecido? Por que todas seguiram o seu caminho e ela ficou? O livro “Virgínia” conta a história de uma mulher cujo destino é um encontro entre a tristeza e a beleza.

Para comprar:

Amazon Brasil, aqui.
Amazon EUA, aqui.

Quem estiver em outros países ou tem cadastro em outras Amazon, não tem problema, ele está sendo vendido em todas elas. Não tem um Kindle? Tudo bem, basta baixar o aplicativo no seu computador, tablet ou celular e comprar o livro

Vamos conhecer a Virgínia?

***

Quem se interessou pelos livros anteriores e quiser comprá-los também, as informações estão aqui.

Nos próximos dias, publicarei algumas coisas interessantes sobre ballet, para compensar, e responderei aos comentários mais recentes. Prometo!