O vídeo mais legal que vocês vão assistir hoje

Para divulgar as apresentações de Harlequinade, o American Ballet Theatre produziu um vídeo incrível. Em vez de um trailer com trechos do ballet ou alguma encenação básica, foi realizado um curta-metragem: em quase quatro minutos, assistimos a uma história com começo, meio e fim, totalmente sem diálogos. É tão legal que sentimos vontade de assistir ao ballet sem pestanejar!

Espero ansiosamente por mais vídeos iguais a esse!

Harlequinade, American Ballet Theatre. Direção: Ezra Hurwitz.

Anúncios

Um duo italiano

A Cyndi e eu temos uma brincadeira entre nós: uma lista de coreografias que dançaríamos juntas. Geralmente, quem escolhe as coreografias é ela, e eu sempre gosto de todas!

Hoje ela me mostrou esta aqui, as princesas italianas em O lago dos cisnes. É uma das adaptações de repertório que o English National Ballet faz para crianças. Que graça!

“Dança italiana”, O lago dos cisnes, English National Ballet, Maeve Nolan e Ritsuko Ogino.

 

Grand pas classique de “O Barba Azul”

A querida Myrna Jamus, professora-ensaiadora-maestra-entende-de-repertório-como-poucos, me enviou este vídeo: o grand pas classique de O Barba Azul, de Marius Petipa. Acredito eu, um ballet pouco conhecido, mas quem quiser saber um pouco sobre ele, em inglês, aqui.

O vídeo tem 17 minutos, aproveitem para separar um tempinho no fim de semana, aumentem a imagem para ocupar a tela inteira e se desmanchem de amor. É lindo, é o ballet clássico que arrebata nosso coração.

“Grand pas classique”, O Barba Azul, Dance Open. Kristina Kretova, Semyon Chudin e corpo de baile do Saint Petersburg State Academic Yacobson Ballet Theatre.

Um cisne negro reconstruído

Em fevereiro de 2016, eu publiquei a respeito da reconstrução de O lago dos cisnes realizada pelo coreógrafo Alexey Ratmansky. O que é uma reconstrução? Uma remontagem o mais próxima possível da obra original.

Há tempos quero assistir à montagem completa, mas por enquanto vou me contentar com um grand pas de deux, o do cisne negro.

Por favor, separem doze minutos do seu tempo para assistir ao vídeo completo. Prestem atenção nos detalhes: os giros, a altura da perna (até eu, a defensora-mor da perna baixa, estranhei!), a coda (a dificuldade não está apenas nos fouettés), algumas sequências que continuam semelhantes até hoje. É lindo e emocionante de ver.

E não estranhem o figurino verde: na montagem original, Odile não era um cisne negro, era uma feiticeira. Confesso, achei muito mais bonito.

“Grand pas de deux do cisne negro”, O lago dos cisnes, Viktorina Kapitonova e Denis Vieira, Zurich Ballet.

O Natal já passou, mas…

Eu gosto muito da Iana Salenko, primeira-bailarina do Staatsballett Berlin e bailarina convidada do Royal Ballet. Há tempos quero publicar o grand pas de deux do terceiro ato de A Bela Adormecida, da montagem de Nacho Duato, dançado por ela e pelo Leonid Sarafanov, mas eu assisti no Facebook e sempre procuro no YouTube para trazer para cá. Esse vídeo eu nunca encontro, mas novos vídeos dela aparecem volta e meia.

Assim, acabei de assistir à Iana Salenko dançando a “Variação da Fada Açucarada” com o figurino mais açúcar que eu já vi. É lindo que só!

“Variação da Fada Açucarada”, Quebra-Nozes, Staatsballett Berlin, Iana Salenko.