A segunda odalisca

O “Pas de Trois das Odaliscas”, de O corsário, é bastante conhecido e eu o publiquei algumas vezes (aqui, aqui e aqui).

De tanto assistir ao pas de trois completo – entrance, variações e coda – nem sempre damos a cada variação o devido cuidado. Eu mesma só notei algumas nuances ao assisti-las separadamente.

Assim, escolhi a minha preferida, a segunda variação. Quem quiser assistir às outras: a primeira e a terceira. Quem quiser assistir ao pas de trois completo dessa montagem, aqui.

Segunda variação do “Pas de Trois das Odaliscas”, O corsário, Bolshoi Ballet, Anna Okuneva.

Anúncios

4 comentários sobre “A segunda odalisca

  1. Oiiiiiii Cássia, tudo bem???
    Se lembra de mim? Sou a Jéssica que te mandou email perguntando de vídeos de Ballet pra eu treinar em casa.
    Cássia querida, tenho que te contar o que aconteceu hoje, sinto-me nas nuvens.
    Comecei a procurar por Pilates que dizem que é fundamental para a vida de uma bailarina. Há exercícios do Pilates que são próprios para ganhar nossa tão sonhada hiperflexibilidade. Aumentando a grade de aulas de Pilates em mais tempo, dá para conseguir nosso Arabesque sonhado e até mesmo a perna alta, acredita nisso? Minha prof de Pilates até mistura o Pilates, com posições e movimentos de Ballet Clássico. Chega a ser tão puxado quanto Ballet, mas vale muuuuuuito a pena.
    Então, hoje procurei mudar de professora de Pilates já que comecei a fazer apenas duas aulas mas tinha desanimado totalmente porque me perguntei: será que isso adianta??? Eu ser bailarina profissional começando perto dos 30 anos com Pilates? Pensava e pensava e tudo me desanimava, afinal, para mim seria impossível ter um papel de Étoile ou um papel relevante com essa idade.
    Foi quando entrei hoje num estúdio de Pilates no centro da cidade.
    E quem me atendeu????
    Foi uma das primeiras bailarinas do teatro da minha cidade. E o teatro daqui tem repertórios de Giselle, Bela Adormecida, Lago dos Cisnes, Sonho de uma noite de verão, etc.
    Ela me perguntou se eu queria fazer Pilates porque sou bailarina.
    Eu disse que sim, e na minha mais imensa humildade disse que jamais seria primeira bailarina como ela porque comecei muito tarde, aos 27 anos, não tenho hiperflexibilidade, nada disso…
    Aí pro meu espanto ela virou e falou pra mim:
    Não comecei ballet quando eu era criança. Comecei aos 35 anos. Fiz uma intensiva grade de Pilates. Consegui ter perna alta. Pego sempre papéis principais no Ballet da cidade.
    E olha que ela tem cabelo vermelho, é tatuada, linda.
    Então Cássia, é PERFEITAMENTE possível ser profissional começando tarde.
    Pilates tá aí pra nos ajudar.
    Não abaixe a cabeça pro Ballet, tudo é possível.
    Só queria te ajudar. :)))))
    Nada é impossível.
    Vou começar Pilates, que embora seja caro, consegui por um preço mais em conta, e me matricular no teatro da cidade em Março, pra ir atrás do sonho. Nada é impossível.
    Bjos minha querida bailarina escritora!!!!
    Qualquer coisa, pode me escrever email:
    jessicaperiard@outlook.com

    1. Jéssica, claro que lembro de você! :) Que história, impossível não sentir um afago no peito e um ânimo gigante. Muito obrigada por compartilhar isso comigo, de coração! Beijo imenso.

Os comentários refletem a opinião das leitoras e dos leitores e não correspondem, necessariamente, à opinião da editora do blog.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s