A reconstrução de “O lago dos cisnes”

No antigo Dicionário de Repertório, eu expliquei o significado da palavra repertório no ballet clássico. No post A Esmeralda original, comentei brevemente que os repertórios passaram por diversas mudanças ao longo dos anos.

É impossível não existir a grande curiosidade: Como eram as obras originais? Assim surgiram as reconstruções, montagens muito próximas das ideias de seus criadores. Para isso, pesquisam-se notações coreográficas, documentos históricos e demais materiais que ajudem a recompor o repertório.

Vários ballets já foram reconstruídos, como O corsário, Giselle, Paquita, A Bela Adormecida, mas faltava uma a altura do mais emblemático, conhecido e amado de todos: O lago dos cisnes.

O responsável pela proeza foi Alexei Ratmansky, coreógrafo e ex-diretor do Bolshoi Ballet. Não é a sua primeira reconstrução, mas, provavelmente, é a mais esperada.

A estreia aconteceu neste mês, com o ballet da Ópera de Zurique. A minha intenção era aproveitar a oportunidade e fazer um longo texto explicando sobre repertórios, mudanças ao longo do tempo e reconstruções, mas a minha ansiedade em compartilhar o vídeo venceu. Por isso, escreverei outro dia.

Fiquem com o mais próximo da ideia original de Marius Petipa e Lev Ivanov para O lago dos cisnes. Eu fiquei muito emocionada, esse é o ballet que me encanta perdidamente.

Para mais informações:
Alexeï Ratmansky reconstruit le Lac des Cygnes à Zürich, Danses avec la plume, aqui.
Time Has Told Me: Reconstructing Ballet, The Ballet Bag, aqui.

Trailer de O lago dos cisnes, reconstrução de Alexei Ratmansky da obra de Marius Petipa e Lev Ivanov, ballet da Ópera de Zurique, 2015.

*

Observação: Quem notou que a Odile não era um cisne?

Anúncios

12 comentários sobre “A reconstrução de “O lago dos cisnes”

  1. Querida, você tem os links das outras reconstruções? Como posso achar? Gostaria muito de ver A Bela Adormecida – em especial Pássaro Azul.
    Obrigada!

  2. Meu Deus!!! PRE-CI-SO ver isso!
    Estava pesando nisso ontem: em quanto são lindas essas montagens que mostram o cisne branco sofrendo enquanto o príncipe dança com o cisne negro. Mas isso é só uma das coisas lindas dessa montagem. Precisamos de um DVD disso, gente!
    E não, eu não reparei que Odile não é um cisne… Aliás, o que demonstra que ela não é um cisne? rsrsrsrs

    1. Eu não tinha reparado que Odile não era um cisne, quanto vi o comentário da Cássia, assisti o vídeo de novo e, pelo que observei, e o figurino dela que não tem penas.

    2. Rosane, também acho lindo quando mostram o sofrimento do cisne branco, torna a cena muito mais clara (e angustiante!). O que demonstra que a Odile não é um cisne: não há penas no seu figurino. :) De acordo com uma matéria da Pointe Magazine, originalmente, a Odile era uma feiticeira, só depois ela foi transformada em cisne negro. Beijos!

  3. Quando é mesmo que sai o próximo voo pra Zurique?
    Quero. E quero AGORA.

    O que seria dos ballets de repertório sem aquele que provavelmente é o seu símbolo mais emblemático, “O Lago dos Cisnes”?
    Estou perdidamente apaixonada especialmente pelos figurinos <3 Que lindeza! Mal posso esperar para poder ver!

    1. Sarah, vamos fazer uma caravana para Zurique! <3 Fique tranquila, assim que uma gravação desse ballet aparecer, eu a trarei para cá. Beijos!

Os comentários refletem a opinião das leitoras e dos leitores e não correspondem, necessariamente, à opinião da editora do blog.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s