Benditos malditos, de Goyo Montero

A relação entre dança e música sempre foi muito clara para mim: os passos acompanham as notas e assim os movimentos acontecem. Mas existem outras maneiras. É possível dançar um poema? Sim, e lindamente.

Criada em 2008 pelo coreógrafo Goyo Montero, Benditos malditos é uma obra de dança contemporânea que reúne a dança, a palavra e a música. Em um único espetáculo, foram coreografados textos de vários autores. Há um pouco do Brasil nessa história: um poema/música de Vinicius de Moraes também está presente.

Quem assistiu ao vivo à final do Prix de Lausanne 2014 reconhecerá a apresentação das sequências com as declamações de “Benditos malditos”, de Joaquín Sabina, e “O dia da criação”, de Vinicius de Moraes.

Trechos de Benditos malditos, de Goyo Montero, Staatstheater Nürnberg Ballett. Prix de Lausanne, 2014.

Acho interessante prestarmos atenção em duas coisas. Primeiro, não há música na maior parte do tempo, mas o som existe. Os movimentos seguem a cadência das palavras, nada é aleatório. Depois, sem recorrer à pantomima, alguns movimentos têm estreita relação com o sentido das frases declamadas. Essa combinação cadência-sentido é incrível de assistir! Essa ovação no final, tanto para os bailarinos quanto para o coreógrafo, não foi à toa.

Infelizmente, não encontrei o espetáculo completo, pois gostaria de conhecer todo o caminho percorrido pelo coreógrafo. Mas assistindo a esses trechos é possível compreender como um texto pode dar movimento ao corpo. Quem tem na palavra um grande amor, como é o meu caso, a união de poesia e dança tem um encanto especial. Daqui em diante, enxergarei essa união com outros olhos.

Para saber mais:

Benditos malditos, site oficial de Goyo Montero, aqui.
Benditos malditos, site oficial do Prix de Lausanne, aqui.

Anúncios

3 comentários sobre “Benditos malditos, de Goyo Montero

  1. ah! o comtemporâneo! tão expressivo, emocionante! sempre quis fazer aulas de contemporâneo,mas na minha academia não tem aulas do mesmo ): , só tenho contato com a dança comtemporânea em workshop ou cursos de férias , e é tão maravilhoso! ><

  2. Vira e mexe a dança “desaparece” um pouco do meu dia a dia, aí é só assistir os vídeos que você posta aqui que eu volto a respirar um pouquinho de dança e leveza. Obrigada, de verdade <3
    Eu acho a junção de poesia e dança a coisa mais perfeita do mundo, queria falar sobre isso no meu projeto de faculdade, mas professor nenhum gostou da ideia, rs.

    Beijooos!

  3. quando eu era menor, e tava estudando música ainda, eu tentava “partiturar” a fala das pessoas, achar a nota de cada sílaba, heheh. A fala, para mim, era música também. :)

Os comentários refletem a opinião das leitoras e dos leitores e não correspondem, necessariamente, à opinião da editora do blog.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s