O que nos espera?

Nos sites das companhias de dança, geralmente há uma minibiografia dos bailarinos. Eu sempre leio essas histórias e assim aprendi como as trajetórias são muito diferentes umas das outras. Aliás, esse deveria ser um exercício para quem quer ser profissional. Não existe fórmula para o sucesso na dança. A única semelhança entre todos os bailarinos do mundo é o estudo da técnica clássica dia sim, outro também. E nada mais.

Há várias histórias que me tocaram, pelos mais diferentes motivos. Aquelas que me atingem diretamente são as de bailarinas da minha idade ou mais velhas que eu. Claro, há uma questão pessoal nisso. Sei que não serei profissional, mas mesmo assim, eu me identifico com elas. Esse é um dos motivos pelos quais eu ame a Ópera de Paris. Lá, os bailarinos se aposentam aos 42 anos. Não só, eles são vistos pelo público como artistas que estão no seu auge. Em boa parte do mundo, nessa idade, os bailarinos já têm atestado de terceira idade.

No post sobre a Véronique Doisneau, eu expliquei como funciona a hierarquia da Ópera de Paris, lembram? Quadrilles, coryphées, sujets, premiers danseurs e étoiles. Há concursos para os quatro primeiros níveis. Para ser étoile, é preciso ser nomeado pela direção da companhia.

Contei tudo isso porque a história da Isabelle Ciaravola me pegou. Ela entrou para o corpo de baile (quadrilles) aos 18 anos. Passou para coryphée aos 21. Conseguiu ser sujet aos 28. Première danseuse? Aos 31. Provavelmente, ela pararia por aí, certo? Passar no exame nessa idade já foi um grande feito. Mas não. Ela foi nomeada étoile aos 37 anos.

Enquanto muitos bailarinos estão se aposentando, ou pensando em parar, ela atingiu o seu apogeu.

Variação de Nouredda, “La source”, Ópera de Paris, Isabelle Ciaravola.

Nós nunca sabemos realmente até onde podemos chegar. E isso não é incentivo autoajuda. É a mais pura verdade.

Anúncios

2 comentários sobre “O que nos espera?

  1. nossa, não conhecia essa variação nem esse ballet, são muito lindos.. Amei a história desta bailarina, mostra como tudo é persistência, disciplina e vontade…

  2. Nossa! Que história linda Cássia! Eu não conhecia esta bailarina linda.. mas adorei ela dançando! Adooro esta variação! <3

Os comentários refletem a opinião das leitoras e dos leitores e não correspondem, necessariamente, à opinião da editora do blog.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s