Qual é o seu preconceito?

Nem sempre paramos para pensar a respeito, mas o que dizemos talvez não condiga com aquilo que achamos de verdade. Muitas vezes, nosso discurso nos trai.

Isso acontece quando dizemos: “Ballet clássico é para todo tipo de bailarina”, mas só nos encantamos quando a bailarina é magra. “Eu não suporto ballet acrobático”, mas sonhamos com uma perna que suba até a orelha. “Podemos dançar em qualquer idade”, mas o nariz se retorce quando uma mulher mais velha se aventura no ballet.

Todo mundo tem o seu calcanhar de Aquiles. A sua fraqueza. Eu descobri a minha sem querer. E, o mais engraçado, é que ela me atinge diretamente. Querem ver?

Até outro dia, Evgenia Obraztsova era solista do Kirov Ballet. De família de bailarinos, sua vida sempre foi a dança. Ela é uma das minhas grandes inspirações não apenas pela técnica impecável, mas por ser pequenina. É a mais pura identificação.

No começo de fevereiro, ela foi anunciada como a mais nova primeira-bailarina do Bolshoi Ballet. Qual foi o meu primeiro pensamento? “Ela é pequena demais para ser primeira-bailarina do Bolshoi!”

Eu tenho 1,50m. Era para eu achar isso incrível, mas não. Na minha cabeça, uma primeira-bailarina tem de ser, ou parecer, alta e longilínea. Ainda mais em uma companhia russa. Nunca gostei de Odettes pequenas, porque um cisne precisa ser grande, no sentido amplo da palavra. Tal qual uma primeira-bailarina.

Evgenia Obraztsova, Variação de Giselle, primeiro ato, “Giselle”, Kirov Ballet.
Como duvidar da grandeza dessa bailarina, alguém me diz?

Senti uma profunda vergonha de mim. Estava depondo contra a minha própria pessoa. Não apenas isso, mas eu me diminuo justamente por achar que grandes bailarinas precisam ser… grandes. Nunca briguei com minha altura na vida cotidiana, mas sempre briguei com ela no ballet clássico. Até que um ex-professor disse a frase mágica: “Cássia, aceite a sua altura.” Eu realmente preciso aceitá-la, mas também preciso tirar da mente essa ideia de um perfil ideal para ser bailarina clássica. Não basta eu ter o discurso, é preciso mudar o meu próprio preconceito.

*

Sei que vocês irão comentar e enumerar várias bailarinas mais baixas, mas a maior parte delas parece ser alta no palco. Não é o caso da Evgenia.

Anúncios

29 comentários sobre “Qual é o seu preconceito?

  1. que besteira isso de preconceito…. coisa de humanos mesmo. Está aí uma dançarina baixa para calar a boca de todo mundo, assim como as altas tb.

  2. Olá,

    Devo dizer, antes de tudo, que este é um ótimo site, meus parabéns!
    Meu comentário é, bem, meio que preconceituoso quanto a mim mesmo: tenho 1m e 90cm de altura e sou magricelo, bom, nunca pensei em fazer ballet, mas me encanta; me fascina todos aqueles passos, a música, a expressão. Tudo que há envolta duma mesma performance. Sou encantado pela música clássica, os concertos, então, unidos a dança… É como se conectassem!

    Enfim, a pouco tempo – bem pouco mesmo – comecei a ver o ballet como algo que eu poderia fazer (chegado aqui, leve em conta que não sei dançar. até sei, mas não quanto deveria para se fazer ballet).
    “Algo que é belo e eu gosto, porque não fazer?”, perguntei a mim mesmo. Mas aí fui surpreendido com uma contra pergunta vinda de mim mesmo: “Como você acha que vai dançar ballet, algo tão maravilhoso, com essa altura? Imagine-se!”.

    Então, assim como o vento frio que se esvai na noite, foram os meus pensamentos sobre querer dançar.

    Ah, e também amo violino, o qual aprendi a tocar “Lago dos Cisnes” de Tchaikovsky, sozinho. Então, aqui, veja quanto fica evidente meu encanto pelo ballet.

    Com tudo, um abraço!

    1. Maxxie, de onde você tirou que 1,90m é alto demais para ser bailarino clássico? Há bailarinas altas que têm dificuldades em encontrar partners por causa da altura. No seu caso, você dançaria tranquilamente com bailarinas entre 1,70m e 1,80m, e nas coreografias solo, aí que não há problema algum! Não se preocupe com isso; e se o ballet te encanta imensamente, comece as aulas. Não deixe esse bailarino preso dentro de você não… =) Grande beijo!

  3. agora morri de vergonha KKKKKKKKK. Tenho 16 anos e sempre tive vontade de ser bailarina. Porém, tenho 1.88 de altura e assumo que sinto vergonha da minha altura e de um certo modo me desencorajei de ir, pois sei que quase não existe bailatinas desse tamanho. Se eu estiver errafa me corrijam, mas a maioria das pessoas não acham bonito bailarinas altas. O que acham? Devo tentar, ou sem cogitação? Beijos a todos vocês.

    Lua ♥,’

    1. Lua, hoje em dia, as bailarinas altas são mais bem-vistas do que as mais baixas. E independentemente disso, claro que você deve tentar. O importante é você querer dançar, não se os outros gostam disso ou não. ;)

      Grande beijo.

    2. me sinto assim tenho a mesma altura e mesma idade , mais se ama nao desista , sofro pq tambem me envergonho da minha altura e os comentario nao sao os melhores , mais lembre-se so temos uma vida para fazer tudo que amamos, e a arte adoro o novo , inovações sao bem vindas sempre dedique-se e seja feliz , estou tentando fazer o mesmo

    3. Lua, eu tenho 15 anos, e 1,78… E o meu sonho é ser bailarina, mas eu tenho o mesmo probleminha kkkk Eu acho lindo as altas dançando, meu único medo é de parecer desengonçada kkk vpcê é de São Paulo ?

  4. Engraçado que eu, que tenho 1,77 de altura, achava um pouco estranho ver bailarinas muito altas. Logo eu, a pessoa mais alta da minha turma. Eu costumava achar que o certo era ter no máximo 1,70 e que se passasse disso, ficaria feio. Ou seja, temos o mesmo problema (ou tinhamos) com a altura, haha.

  5. Oi Cássia.
    Eu sei que não tem nada a ver com o seu post.
    Mas vc é de São Paulo?
    Eu tenho 26 anos e gostaria muito de começar a dança ballet clássico, mas não tenho idéia de onde tem escola aqui.
    Se vc puder me ajudar, serei eternamente grata.
    Mariana

  6. Nossa, e eu só fui atrás de realizar meu sonho de fazer Ballet agora, com 28 anos (conecei hoje, aliás), porque quando era mais nova tinha vergonha da minha altura (tenho quase 1,75m e não sou magra). Sei que vou enfrentar preconceito por ser grande e velha demais, mas antes isso do que passar a vida inteira sem realizar o sonho de aprender a dançar. Ao menos tenho maturidade para enfrentar os obstáculos, agora.

    Beijos e adorei seu blog!

  7. Sabe que existe aquela história de que o que achamos de defeito nos outros normalmente é reflexo do nosso próprio defeito…
    Eu sempre lutei com a balança. Hoje estou em melhor forma, mas minhas pernas continuam grandes. Daí sempre ficava olhando nas aulas pra ver se tinha alguém com uma perna maior que a minha e ficava “rááááá….” na minha cabeça.
    Isso aconteceu até eu entender que não tem nada a ver o físico de ninguém pra dança. O que vale é superarmos nossas dificuldades. E ajudarmos as colegas a fazerem isso também.
    Afinal de contas, ninguém quer ser vista como esnobe pela galera né…
    Beijinhos!

  8. Eu tenho 1,49, dancei ballet dos 7 aos 14. E voltei a 1 ano atrás, estou com 23 anos, e também tenho um pouco desse preconceito. Vejo que as minhas colegas mais altas parecem que tem uma postura melhor… mais bailarina. Mas concordo contigo, acho que devemos deixar isso de lado, vemos que isso eh bobagem quando lemos uma reportagem de bailarina baixinha sendo nomeada primeira-bailarina de uma das grandes escolas russas!

  9. Já fui uma bailarina muito mais perto dos padrões do ballet clássico, aos 15 anos. Hoje com 27 estou bem longe. Vivo lutando para não aumentar muito o peso. Sou do tipo bailarina mignon. Às vezes quando preparo uma aula de balé filmo para não esquecer as sequências, mas confesso que já fiquei deprimida várias vezes com minhas linhas por causa do ideal que construí ao longo dos anos em minha mente, mas o que vivo fazendo para driblar e acabar com esse sentimento, é de agradecer à Deus, as oportunidades que já tive e a de continuar trabalhando com o movimento e com a dança clássica que me dão prazer e impulsionam minha vida. Todos precisamos nos aceitar mais, o que não significa relaxar, pelo contrário, saber de seus limites é o primeiro passo para buscar infinitamente diminuí-los, sempre se esforçando, mas acima de tudo amando seu próprio corpo e sendo grato por ele.

    Obrigada Cássia!
    Polyana.

  10. Oie!!!
    Interessante você falar nisso Cássia!!!!
    Eu naum tenho preconceito pelo contrário sempre incentivo a todos nem que seja apenas para fazer aula!!!!
    Sempre me falam que tenho as pernas e o colo de pé lindos principalmente nas pontas , na verdade tenho Hiper extensão na lateral e atrás das pernas ou seja totalmente curvadas para trás dá a impressão de que vai quebrar!!!! E o colo de pé também , ele é hiper curvado para frente!!!! fica bonito , realmente , mas me atrapalha um bocado não consigo fechar a quinta nem a primeira posição sem dobrar os joelhos pois eles “se batem ” mais do que o normal!!!!! e quando alongo a perna faço mais esforço para que ela possa alongar totalmente !!!!! E ainda tenho uma cifose séria na coluna e ombros “para cima “, tenho 1,65 , nem muito nem pouco seio, coxas grossas e cintura fina , rsrsrsrsrsrsrsrs !!!!!!!! Para falar a verdade não consigo imaginar uma bailarina assim !!!! Tô mais pra funkeira!!!! As vezes o que é bonito para uns atrapalha para outros , principalmente se você ama o que faz!!!!! e principalmente se o que você ama for o ballet!!!!rsrsrssr
    bjo!!!

  11. tudo no palco é diferente, por exemplo quanto vc acha que a Svetlana Zakharova tem de altura?
    apenas 1,64 e parece mais, não é verdade, praticamente minha altura eu a achava mais alta, mas tudo é questão de ponto de vista, daquilo que estamos acostumados, aquilo que não nos agrada em nós mesmo, por exemplo eu não gosto do meu colo de pé, por isso aponto para os outros, é um erro, é claro, mas é assim que somos por mais que fique escondido é inevitável, o que não é bom em vc ou o que vc faz de melhor sempre reparamos e ponto, é um preconceito que sempre temos infelizmente.
    bjs e até

    1. vc tem certeza que a svetlana zakharova tem 1, 64 ?? ouvi dizer qe ela tem 1, 75 , de qualquer forma eu gostaria de parabenizar a autora do blog pela otma materia e gostaria de dizer tbem que eu nao sou nem alta nem baixa muito menos magra(1,62 m e 49 kg) ! mais a dança é o meu amor e eu sempree vou qerer dançar msmo qe eu nao seja uma bailarina profissional ou que os meus kg ou altura me impessam d ingressar em uma compahia de dnça vou dançar ate as minhas sapatilhas pedirem para parar e qndo isso acontecer eu tiro elas e dnço descalça pq o ballet (classico) é a minha paixao , eu fico hras na frente do pc , assistindo a videos de ballet e eu amoooo a svetlana ela eh linda e maravilhosa dançando ainda mais cm akele colo de pé née vamo combina ela eh perfeita dançaaaando parece q nem eh real kkkk parabens Cassia , bjs

  12. Parabéns Cassia! voce tocou em um ponto tão controverso quanto a mente humana.Realmente sempre procuramos um defeito em nós mesmos.Mas,voce já parou para pensar:”e as primeiras bailarinas,será que elas sentem-se sem defeitos”?. É claro que não;o segredo esta em sabermos lidar com as nossas limitações,limitações estas que nós mesmo criamos no nosso inconsciente.E agora,como ficamos?Quando foi lançado “Cisne Negro”,fui assisti e procurei entender a perspectiva do diretor ao fazer um Thriller.Sim.ele é exatamente isto.Dinámico,consciente e inconsciente o tempo todo em uma briga constante.Todos os humanos são asim;e eu queria ver toda a fragilidade e encantamento que a historia nos transmite.Mas ele conseguiu adapta-lo a realidade humana,sem o ludico que tanto perseguimos no ballet de repertório.É um “lago dos cisnes” contemporaneo,demonstrando a inconstancia dos humanos.Não somos perfeitos nunca,afinal somos “humanos”,mas em compensação;como postou a Roberta:”Mas a sensação que eu tenho a cada segundo de aula e a cada port de bras é unica e maior que qualquer preconceito”. Então,é isto o que realmente importa!

    1. O QUE ME DIZ SOBRE O PRECONCEITO QUE MINHA FILHA 16 ANOS ESTA PASSANDO POR TER AS PERNAS GROSA, MAS DANÇA MT BEM,TDS OS DIAS TARDES E NOITES A SEMANA TD, E ESTA SENDO DISCRIMINADA! O QUE FAZER PRA AJUDA-LA? SÓ QUEM TEM PERNAS FINAS QUE PODE SER UMA BAILARINA?

  13. Nunca tinha parado pra pensar nisso, mas é verdade, falamos tanto que o ballet é pra todas, que não tem essa de peso, idade e etc. mas estranhamos ao ver bailarinas mais curvilíneas ou cheinhas, baixas demais ou aaaaltas demais, acabamos aceitando o esteriótipo sem nem perceber…

  14. Cassinha, temos a mesma altura! hahaha Exatamente 1m50.

    Adorei o post, a gente realmente tem que começar a se policiar. Temos preconceitos e barreiras que às vezes nem suspeitamos, não é? Eu nunca tive preconceito com bailarinas baixinhas. Quando estive com a Ana esses dias, percebi que ela também é baixinha, praticamente da minha altura! Fiquei toda feliz haha Achei o máximo.

    Mas confesso que tenho com aquelas que não são mignon (o que também é o meu caso. Sou baixinha, mas não petit). Acho lindo uma bailarina sequinha… Já pensei até em fazer plástica nos meus seios pra eles caberem melhor no collant, acredita? Como você disse, todo mundo tem uma falha…

    Beijo!

  15. já eu tenho 1,70, sou magricela (tenho 47kg, mas não tenho disturbio alimentar. é genético!) e qdo eu faço aula olhando para o espelho não gosto do que vejo! osso demais atrapalha esteticamente! kkkkkkk
    Não gosto dos meus braços, acho que faço os movimentos todos errados pq nunca fica “redondinho”.
    enfim, posso ter o “corpo ideal” para fazer ballet, mas não acho nada bonito ver uma pessoa muito magra dançando. a gente acha que “vai quebrar” e vc se perde nos movimentos, tirando a beleza da dança.
    O negocio é aceitar o que a gente tem e tentar aproveitar o nosso melhor! Eu, por ser leve e ter as pernas longas, a professora sempre me coloca na ponta nas coreografias para “puxar a fila” no pas de bourrée en couru , pq eu tenho mais velocidade que as outras meninas.
    O importante é dançar com prazer.

  16. Cássia, você tocou em um ponto interessantíssimo… Semana passada percebi mim mesma os preconceitos que você citou. Como exemplo, sempre falo que o(a) bailarino(a) deve demonstrar sentimento acima de tudo, independente do físico.
    Na minha última aula de ballet a professora pediu para improvisar (um improviso livre, até mesmo mais para o contemporâneo). Sabe o que aconteceu? Eu travei, pois dentro de mim sentia que não podia fazer nada legal, pois minha perna não levanta alto, não consigo dar mais de uma pirueta, meu pé não tem “aquela” curvatura, etc. Percebi que o meu sentimento não valia nada para mim mesma.
    Achei isso muito triste, e posso te dizer que saí da aula e fui para casa pensando nisso, e passei a semana com este pensamento. Acho que muito da evolução que não vejo na dança tem relação com o fato de eu não aceitar minhas limitações e trabalhar para reduzí-las dentro do possível, guardadas as devidas proporções que meu corpo que começou o ballet clássico com quase 27 anos (hoje tenho 29) vai atingir. Este seu post (e um anterior que fala sobre a importância dos braços) contribuíram muito com minhas reflexões.
    Parabéns pelos textos, pelo blog e principalmente por suas reflexões como bailarina.
    Um grande beijo!

  17. Olá Cássia, acompanho seu blog a um tempo e hoje vc tocou num ponto que ” me dói” bastante.

    Faço dança a 15 anos, e tenho 1,77cm de altura.
    Daria tdo para ter 1,60cm ou menos, pelo simples fato de nunca ter dançado um Pas de deux (nem repertório, nem livre, nem jazz, nem moderno, contemporâneo, nem no sapateado que é a dança mais democrática do mundo!) pq não encontro bailarinos com mais de 1,90cm (é o tamanho que fico na ponta).

    Ser pequenininha e parecer alta é fácil… o problema e ser grande e não poder cortar as pernas! hauhauhaua

    Com tda essa frustração durante a vida na dança aprendi que não importa o que os outros pensam e sim o sentimos quando entramos num palco e principalmete oq vc transmite ao público. O sucesso de uma bailarina (ou de um artista em geral) é medido pelo que ela faz as pessoas sentirem e não pelo “resto”

    :)

  18. Evgenia tem quanto de altura, Cássia?
    Acho Alina Cojocaru maravilhosa, mas não a imagino em uma cia. russa, por exemplo. Já Darcey Bussell, com seus maravilhosos e bem coordenados 1,70, tem grande dificuldade de achar um par…
    O problema, não só no ballet, mas em muitos outros momentos na vida é que sempre queremos encontrar padrões. É muito mais confortável trabalhar assim, não é mesmo? Porém é muito difícil viver desta forma…
    Para o ballet, tenho um corpo péssimo: adquiro massa muscular, no sentido de hipertrofia muscular, muito rápido; tenho ‘bundão’ (marido ama, eu odeio); pernas curtas; tronco extenso e pé ruim (só para aumentar minha felicidade. NOT).
    Mas a sensação que eu tenho a cada segundo de aula e a cada port de bras é única e maior que qualquer conceito pessoal.

    1. Me frusta ler estas coisas! Minha pequena tem 7 anos e está c 1,30m! Ama Ballet clássico, vai fazer audição em fevereiro p a escola do municipal do Rj, mas acho q seu tempo no clássico é curto, tendo em vista q a pediatra disse q chega fácil nos 1,75-1,80m. Ela veste 12 anos, magérrima, 20kg. E olha q nasceu c 43cm e 1,900, rsss! Só se alimenta de leite e carnes, pasmem!!! Não consome quase carboidratos, verduras e legumes nunca! Sadia, sagaz, inteligente (2 no colégio). Vai entender… Mas o sonho dela de ser bailarina profissional, de subir ao municipal como a fada açucarada, acho meio impossível! Me corrijam se estiver errada! Depois volto aqui p dizer se fora aceita ou não na escola estadual de Danca Maria olenewa!!!

    2. Priscila, há bailarinas profissionais incríveis que são bem altas (Darcey Bussell, Sylvie Guillem, Agnès Letestu), não há do que se preocupar sobre a (futura) carreira da sua filha no ballet clássico.

      Beijos.

Os comentários refletem a opinião das leitoras e dos leitores e não correspondem, necessariamente, à opinião da editora do blog.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s