“Whatever you feel, just dance it.”

A frase do título (“Não importa o que você sinta, apenas dance.”) é de Center Stage (ou Sob a luz da fama), praticamente um clássico entre os bailarinos. Não é raro encontrar quem já tenha assistido e quase todos se apaixonaram. Na verdade, ainda não conheci alguém que falasse mal do filme, mesmo ele não sendo um primor.

Dirigido por Nicholas Hytner, em 2000, o filme conta a história de vários bailarinos que acabaram de ingressar no American Ballet Academy, em Nova York. O local é fictício, mas os três personagens principais foram feitos por bailarinos profissionais: Jody Sawyer (Amanda Schull, foi corpo de baile do SFB), Cooper Nielson (Ethan Stiefel, primeiro-bailarino do ABT) e Sims Charlie (Sascha Radetsky, solista do ABT). A Julie Kent também participou e eu não me lembro dela!

O mais bacana é que assistimos ao filme e nos reconhecemos. Mesmo com tantas dificuldades, há um amor genuíno pela dança. Além disso, eles se divertem dançando. Alguma semelhança com cada um de nós?

Eu me identifico imensamente com a Jody Sawyer. Agora, ainda mais. A sua escolha no final é o ponto-chave de uma bailarina mediana. Qual caminho você escolheria? Eu teria feito o mesmo que ela fez.

Música-tema do filme. Ela não tem nada de especial, mas eu adoro! Letra e tradução, aqui.

Onze anos se passaram desde a sua estreia, mas parece que foi ontem. O ballet tem um mundo tão particular que algumas coisas não mudam. Posso apostar que daqui uns 20 anos, o veremos com os mesmos olhos.

*
Há uma continuação, o Center Stage – Turn it up. Não aguentei nem dez minutos de filme, a protagonista não me convenceu e aquela franja solta o tempo todo me deu agonia. Nem o Ethan Stiefel me deu ânimo para prosseguir, mas quem quiser tentar…

Anúncios

16 comentários sobre ““Whatever you feel, just dance it.”

  1. Acho que eu sou a única aqui que gostou do Turn It Up, rs.

    O filme é mentiroso, mas eu gostei da história e adorei a coreografia final. E, sinceramente, algumas pessoas criticaram coisas que não existem, a protagonista não vira prima bailarina, ela sequer passa pra escola, mas encontra seu lugar ao sol por outros caminhos e pela ajuda de um bailarino bem melhor que ela. Encontra o seu lugar, como a Jody. Enfim, prefiro o primeiro, mil vezes, mas também gosto muito do segundo. O fator decepcionante é que não tem continuidade com o primeiro, é outra coisa, então podia não levar o nome de Sob a luz da fama. Mais ou menos o que acontece também no Balanço do amor 2.

    Sou um pouco suspeita por ser apaixonada por filmes de dança. Acho que o único que eu realmente não recomendo, nem um pouquinho, é o Ballet Shoes (Dançando para a vida, em português). É simplesmente ridículo e os únicos 3 segundos de dança são uma montagem muito mal feita de um vídeo possivelmente tirado do youtube, muito ruim mesmo.

  2. O pior do Center stage 2 (digamos assim) é q a menina é bonita mas péssima bailarina sem contar a falta de disciplina com aqueles cabelos no rosto o tempo todo eu assisti até o fim pq achei que ela ia mudar mas que nada o problema é que não posso indicar para as minhas alunas se não todas vão vir de cabelo solto pra aula hahaha!
    OBS. Adorei o blog

  3. vou ver se consigo assistir :)
    ja tinha ouvido falar, mas tinha visto nenhum vídeo ainda!!

    beijos e até!!

  4. Ouvi falar desse filme em outros posts aqui e fiquei louca pra ver.
    Procurei pra comprar e não achei.
    Acabei vendo pelo youtube. A qualidade da imagem não é boa, mas quebra um galho pra quem não tem o dvd.
    O link da parte 1 é esse: http://www.youtube.com/watch?v=TP3NkTQ_4i4
    Depois as outras partes vão aparecendo nas sugestões do youtube.
    bj

  5. Eu assisti ao segundo inteiro, e nossa é horrível. Ninguém faz fouettées apenas com vídeos de dança, mas a menina do filme faz. Enfim, o Ethan conseguiu me segurar nessa tragédia que foi a continuação, porque o primeiro é um dos meus favoritos.
    E agora , mudando de assunto com informação desnecessária, o bonitão do Ethan vai se casar! Pediu a Gillian Murphy em casamento em cima do palco.

    Beijos

  6. eu tb adorei o primeiro e detestei o segundo!
    o primeiro é muito mais encantador e real pra mim…não sei pq,mas é isso que ele passa! sem contar que as danças são bem mais bonitas

  7. Eu nunca assisti o primeiro filme e morro de vontade de ver.
    Já tentei locar,mas não encontro o filme de jeito nenhum,o que é uma piada,pois a continuação eu achei e assisti.Conclusão: não vi o primeiro mas o segundo é muito chato,não tenho nada contra street dance,mas gostaria de ter visto mais ballet e menos dança de rua,nem o Ethan Stiefel me deu ânimo,ele dança só um solo curtissimo durante o filme inteirinho.
    Muita conversa e pouca dança.

  8. Também gostei muito, a título de entendimento de como funciona o mundo do ballet. Nesse aspecto, o filme é excelente, retrata fielmente como a coisa é por dentro.
    O enredo… bom, só faço questão de assistir de novo as cenas de dança mesmo rsrsrs!
    Quanto à continuação, o Turn It Up… não sei o que eles pretendiam querendo fazer aquela ótima dançarina de hip hop se passar por uma grande prima ballerina,, pois só o que conseguiram foi fazer um filme tedioso, inverossímil, cuja protagonista parece ter treinado às pressas alguns passos de ballet (que evidentemente ela nunca havia praticado antes) só pra integrar o elenco. #prontofalei!

  9. Comecei a gostar de ballet por causa desse filme!!!
    Passava na Warner Chanel T-O-D-A semana, juro, e eu sempre assistia. O vídeo da última apresentação do primeiro filme, com Amanda Schull , Ethan Stiefel e Sims Charlie dançando “Canned Heat ” do Jamiroquai, é a melhor parte do filme. Vale a pena rever!

    Dance! Dance! Dance! Oooooh DANCE!!! kkk

  10. só assisti a continuação. achei bom o filme, é porque o segundo envolve mais uma história de amor e o filme se concentra muito na protagonista. E tem pouquíssimas cenas de clássico, o que a eu vi foi mais hip hop, moderna e etc.
    Mas sou louca pra assistir o primeiro!

  11. Ai Cassia, adoro esse filme… É um dos poucos que, ao propor o assunto “dança”, mantém ela em foco praticamente o tempo todo…. Eu dancei, três anos atrás, o jazz que eles apresentam no meio do filme, ficamos dias em frente da tv para pegar as sequências e foi muito legal ter dançado…. Como sempre, seus posts conseguem me fazer “viajar” no meio do trabalho! Bju

  12. Oi Cássia!

    Também adorei o Center Stage! Maravilhoso! É muito emocionante e verdadeiro. O 2 é insuportável! Eu vi “pulando” uns pedaços para ver se a impressão inicial passava, mas não passou. Não compensa nem para a sessão da tarde, rsrsrs…

    Bjs.

  13. Amoo esse filme ,ontem mesmo estava assistindo!!
    Quanto a Julie Kent , ela e a mulher do diretor do ABT o Jonathan Reeves interpretado pelo Peter Gallagher e ex do Cooper ,lembra ?
    Voce tem o filme ?
    Eu tenho quer?
    Bjss,

    1. Ana Paula, assistirei ao filme de novo só para ver a mulher do diretor da ABT no filme, hehehe. Obrigada por ter me contado, eu juro que não lembro! E adoro a Julie Kent, por isso que queria saber quem era ela. Eu quero. :D

      Grande beijo.

Os comentários refletem a opinião das leitoras e dos leitores e não correspondem, necessariamente, à opinião da editora do blog.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s