Com meus próprios botões

Sabe quando queremos falar e escrever uma porção de coisas, mas vem o desejo de ficar quieta e pensativa? Ando assim ultimamente.

Na verdade, eu sempre tive (e tenho) esses momentos de parar, aquietar e questionar. Graças a isso, consegui desenvolver olhos de lince¹. E, acreditem, eles funcionam muitíssimo bem.

Não há nada de errado com o blog. Ele continuará numa boa, logo mais haverá muitos posts. Só estou cá pensando com meus botões sobre o ballet clássico e qual rumo ele está tomando. Logo eu, que sempre achei tão bacana ele ter virado moda, estou repensando seriamente sobre isso…

Fotos: Divulgação. Cenas do filme Black Swan.

*
¹ Olhos de lince: enxergar longe, ver o que ninguém mais viu, ser perspicaz.

Anúncios

4 comentários sobre “Com meus próprios botões

  1. Ju, o meu lado você já leu no post, mas acho um grande problema professores nem aí. Quando um aluno dedicado se depara com alguém assim, eu sempre acho que ali pode morrer um bailarino para sempre. E isso me entristece imensamente.

    *

    Tatiana, você também já leu o que pensei, e foi bem por aí. ;)

    *

    Bbell, eu acho o filme Cisne negro incrível. Ele não mostrou um bando de bailarinas loucas, mas apenas uma que se afundou no seu próprio delírio. A Lily, por exemplo, era tranquila, vivia numa boa e curtia o que fazia. E os outros bailarinos também são mostrados dessa forma. Quem assiste ao filme e generaliza, não o entendeu. E você tem toda razão, o ballet tem de ser feito de corpo e alma.

    Beijos.

  2. Oi, eu concordo com a Tatiana, eu não faço ballet, mas acompanho o blog a + de um ano, eu faço Jazz, e admiro o ballet, e por isso concorda com a Tatiana, pq o vejo como uma arte, e essa “modinha” me deixa com um pouco de medo, das pessoas acharem que ballet é só aquilo que o filme mostrou, um bando de bailarinas loucas, um pouco (pouco) competitivas…
    E a mágica do ballet, é vc fazer de corpo e alma, para que seus movimentos representem o que sua alma quer, e a graça, é fazer sua alma ser o Cisne Negro, o Branco, ser Giselle, serem tantas que todas se unem por uma única coisa: o amor à dança…
    Boa tarde p/ todas

  3. oi Cassia, tudo bem??? Li seu post e, não sei se é isso que está rolando na sua cabeça, mas é na minha… Todo mundo que ama ballet quer que a arte seja divulgada, aclamada, exaltada… E, uma forma disso acontecer, seria pela sua popularização, ou seja, a “moda” que você mencionou. Só que, por aqui, ao menos eu, sinto que em vez desses desejos que temos, o ballet está ficando banalisado… Não sei se é a mesma coisa que vc está pensando… Mas, sendo assim, cabe a cada uma de nós, que o estuda como meio de arte (com todas as suas peculiaridades), continuar estudando e se esforçando para ele continuar a ser o que sempre foi – VERDADEIRA ARTE. Bju

  4. Por que, Cassia? Uma das coisa que me faz pensar é quais aspirações um professor de ballet adulto poderia ter. Alguns são tão dedicados e outros não estão nem aí. Tem a ver com aquele seu post sobre a postura do professor. Mas isso não diminui o meu encantamento Bjs.

Os comentários refletem a opinião das leitoras e dos leitores e não correspondem, necessariamente, à opinião da editora do blog.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s