Sobre plágio e cópia

Em 2006, criei um blog para publicar meus textos. Em 2009, fui plagiada. As minhas palavras, sem citação de autoria, foram parar no flog de uma garota. Pensem na minha ira… Só pensem.

O meu sangue subiu de tal forma que apaguei tudo, mais de dois anos de textos. Dali em diante, o Carambolas Azuis passou a abrigar outro conteúdo. Fiquei um ano sem escrever. Voltei timidamente até criar um blog para isso, o Cássia Pires, e depois migrei para o Anotações de uma bailarina.

Quando eu soube, contei no Twitter. Uma conhecida virtual da época, a Ane, se revoltou imensamente. E escreveu para a menina, republicou para meio mundo, falou aos quatro ventos. O que aconteceu? Em menos de 24 horas, o flog havia sido apagado.

Contei tudo isso para ilustrar a história que vem a seguir…

Hoje, a Thaís, do Ponta Perfeita, contou no Twitter que teve seu blog plagiado. Chegou a minha vez de contar para todo mundo.

Antes de migrar para o WordPress, a Thaís mantinha o seu blog no Blogger. Com isso, ela apagou o domínio antigo. A Mari resolveu recriá-lo. Com o mesmo nome. Com a mesma ideia. Apenas isso já seria o suficiente para ficarmos irritadas, mas não seria ilegal. A questão é que ela simplesmente reproduziu textos inteiros, originalmente feitos pela Thaís, sem citar a fonte. Também reproduziu de outro blog, criado pela Isabela.

O nome disso? Plágio. O que é isso? Crime, com punição prevista de acordo com a Lei de Direitos Autorais.

Em pouco tempo, nos mexemos no Twitter e virou “o” assunto (@thaisgondar, @cassiapires, @anayazlle, @anapsferreira, @jusales). Além de blogagem coletiva sobre plágio, a Ana Paula, do Vivendo e Dançando, é advogada e nos explicou em detalhes como funciona a legislação. Para ler, aqui.

No meu blog, procurem um selo na coluna do lado esquerdo, quase no fim. Encontraram? É sobre a Licença Creative Commons, que especifica quais regras devem ser seguidas para reproduzir conteúdo da internet. Quando há esse selo ou indicação, o dono do blog ou site está dizendo a todos o que pode ser feito.

Em relação ao Dos passos da bailarina, três pontos devem ser seguidos: citar a fonte, não alterar absolutamente nada do texto e não ganhar dinheiro às minhas custas. Além disso, em caso de descumprimento, valerá a legislação vigente. Não hesitarei em contratar um advogado se houver plágio comprovado.

Acham mesmo que mantemos blog de brincadeira? Eu não.

Parece exagero? Não é. Temos de parar com a conivência. Já basta o tanto de cópias descaradas que existem por aí. Vocês acham que eu não sei? Nas estatísticas do WordPress, eu vejo a origem das visitas. Quando resolvo passear pelos blogs, sempre me impressiono com alguma coisa.

Eu contei uma vez (aqui) que leio poucos blogs de ballet e dança em geral. São eles: Ballet Adulto, Dança depois dos 20, Dicas de Dança, Escola Bolshoi, Ilya Kuznetsov Ballet TeacherInfodansa, Música de Ballet, O meu repertório, The Ballet Bag e The offbeat chronicles of a tutu with tea. Lia também o Ponta Perfeita.

Só, e por alguns motivos. O primeiro é porque não sou fã de diários de bailarina, os relatos pessoais não me atraem. O outro é não deixar o que vocês fazem influenciar na produção de conteúdo do meu. Porque posso ver um ou outro assunto publicado e desistir de falar sobre ele.

Acho importante que as ideias de post deste blog sejam minhas. E são na maioria das vezes. Quando não, conto de onde surgiram. Caso haja coincidência com outros de ballet, foi apenas isso, coincidência. Eu não copio nada de ninguém.

Além disso, eu sempre cito a fonte daquilo que publico, não importa de onde tenha vindo. Vídeo recebido por email? Indicação recebida pelo Facebook? Publicação no Twitter? Vem parar aqui com nome, link e o que for necessário. Descobri pesquisando? A fonte aparece. Quando não há nada, a autoria é minha.

Nesse caso, é respeito. Assim que as coisas deveriam funcionar. No caso de plágio, não é falta de respeito. É de caráter.

Eu sei que é lindo ver um blog bem-feito. Quer um igual? Faça o seu. Com a sua cara, o seu jeito, o seu estudo, o seu conteúdo. Dá trabalho? Muito. Da mesma maneira que no ballet clássico, resultado só vem com muita dedicação. Porque quem acha que bailarina recebe aplausos sem fazer nada nunca usou sapatilhas na vida.

*
Aqui estão os links para provar os plágios encontrados e aqui ficarão até isso ser resolvido. ATUALIZAÇÃO: O blog plagiador foi apagado e o post plagiado agora contém os devidos créditos. Por conta disso, ambos foram retirados do post, conforme eu me comprometi a fazer.

Ponta Perfeita
O original, aqui.

Plano B
O post original, aqui.

Bailarina de corpo e alma
Post explicando o plágio, aqui.

*
BLOGAGEM COLETIVA
A lista será atualizada conforme os posts forem publicados.

Ana Curcelli, Plágio na rede: os autores e seus blogs. Para ler, aqui.
Ana Paula, O balé, o plágio e a lei. Para ler, aqui.
Ana Yazlle, O plágio e a dança (ou fora dela). Para ler, aqui.
Carol Lancelloti, Atenção para o plágio! Para ler, aqui.
Heydi Milhose, Plágio. Para ler, aqui.
Jade Christinne, Say no to “plágio”. Para ler, aqui.
Tays Alcântara, Unidas contra o plágio. Para ler, aqui.
Thaís Gondar, O plágio perfeito. Para ler, aqui.

Anúncios

18 comentários sobre “Sobre plágio e cópia

  1. Olá, Cássia!
    Entendo e compartilho a indignação de vocês, acho uma total falta de caráter esse tipo de coisa.
    Com esse post, lembrei que quando tive vontade de começar a fazer ballet, pesquisei muito, li todos os posts do seu blog e, procurando uma escola, achei no site de uma delas um texto seu, idêntico, mas sem créditos e, pior ainda: dizia ter sido escrito por uma professora da escola!
    Fiquei indignada, ia vir aqui te contar, mas não lembro por quê, não achei mais o site! Agora já sei, na hora que eu ver algum plágio venho correndo pra vocês divulgarem!
    Beijos

  2. Cássia,
    Falei bem rápido no twitter sobre isso com você. Só hoje consegui vir conferir o que estava acontecendo.
    Como você bem sabe, convivo em blogues de decoração e arquitetura. Raramente posto sobre ballet, apesar dos meus leitores saberem que pratico. Só desabafos, um vídeo ou outro, algum assunto específico. Em todos os meios o plágio está presente e acredito que existam os dois tipos de plágio: o por ignorância das regras e o pela tentativa de lesar a pessoa. Nenhuma das duas é perdoável, na minha opinião.
    Realmente temos que denunciar. No caso do blogger, várias denúncias fazem com que o blog saia do ar, mas no wordpress ainda não descobri (estou migrando agora, ainda não consigo mexer direito).
    Mas a denuncia é importante!
    Beijos
    lelê

    PS> fazia tempo que eu não passava aqui, só lia no reader… linda a imagem da header!
    Sobre o email que ia te escrever, ia falar sobre o espetáculo… estou tentando postar o vídeo lá ou no youtube… se conseguir, te aviso!

  3. Querida Cássia,

    É isso mesmo, tem os dois lados: o da ingenuidade e o da sacanagem.
    A luta pelo que é justo não quer dizer que percamos a fé na humanidade… senão estaremos a perder a fé em nós mesmos.

    Beijo grande!

    Cátia

    1. Você está certa, querida. Perder a fé na humanidade é perder a fé em nós mesmos. Obrigada por “me chamar à razão”. ;)

      Beijo com carinho.

  4. Eu ainda estou revoltada. Sabe o que é pior? Antes disso acontecer, essa menina ainda entrou em contato comigo, dizendo que gostava muito do meu blog e tudo… E na cara de pau, copiou meu conteúdo.
    Eu só agradeço a vocês, que apoiaram o caso. Com isso, fiquei sabendo da história da Thaís também, que tem um blog tão legal e interessante.
    E é o que temos que fazer mesmo: nos unir.

    Abraços.

  5. Oi Cássia querida,

    Eu entendo a tua revolta porque eu também, nestes anos todos em que escrevo em blogue, já vi os meus textos a serem copiados. Mas eu tenho verificado que, por vezes, há pessoas que pura e simplesmente não se dão conta de que estão a fazer algo errado. Eu posso parecer ingénua, mas eu acho que isso acontece. Uma vez encontrei um texto meu num blogue e escrevi para a pessoa que era a dona do blogue e expliquei que não gostava de ver um texto meu sem ser creditado. A moça respondeu-me a pedir desculpas e a dizer que não sabia que estava a fazer algo errado; de seguida, ela perguntou-me se eu queria que ela retirasse o post ou creditasse.
    Claro que há pessoas maldosas e desrespeitadoras, mas também há o outro lado. Por vezes, até é preguiça de creditar. Copy &paste e pronto. De qualquer forma, sempre errado.
    Mesmo assim, acho importante que se denuncie e, neste caso, que se esclareça esta questão do plágio.
    Um beijo grande e prossegue sempre neste teu percurso pelo que é correcto!

    Cátia

    1. Querida Cátia, no caso do meu plágio, talvez tenha acontecido isso mesmo, a pessoa não sabia. Ela gosta do texto e reproduz. Mas no caso de blogs de ballet, por exemplo, os textos são extensos e informativos (não sempre, mas enfim…), não é apenas criação de algo, mas produção de conteúdo. Nos dois casos relatados aqui, acredito mesmo que no post “gravidez e ballet”, a “copiadora” não fez por mal, pois ela começa dizendo que leu um artigo interessante. Já no caso do blog de mesmo nome, eu não acredito em ingenuidade. A moça copiou o nome do blog, com conhecimento do original, pois reproduziu posts inteiros de lá. Ou seja, fazer um blog inteiro de reprodução dos textos alheios não pode ser desconhecimento. Esse acontecimento me mostrou, depois de alguns comentários sobre tal atitude, que talvez eu não tenha mais tanta fé na humanidade assim não… de verdade.

      Grande beijo.

  6. É tenso!
    Realmente deve ser horrível… Você se esforçar pra poder fazer um post bom, interessante e alguém simplismente fazer Ctrl+C e Ctrl+V e ainda por cima levar a fama.
    Foi bom você ter postado sobre isso.

  7. yaaaaay let´s go get them, girls!

    E que pena que vc não curte ler meu blog hahahah eu tb não curtiria. Não entendo porque as pessoas gostam tanto, juro. Eu também não gosto de relatos.. Escrevo pra desabafar mesmo. Seu blog é o melhor, eu nunca teria o tempo e a paciência para postar um conteúdo tão bom e organizado.

    Um beijo, Cassinha

    1. Carol, não existe isso de “melhor”, hein?! O seu blog é ótimo, só segue um caminho diferente. As pessoas gostam tanto porque se identificam. ;) Elas visitam o seu para se encontrar, o meu elas visitam para estudar e se informar. Não são excludentes, de maneira alguma. E não é que não curto o seu, eu só leio blogs informativos, percebeu? Com exceção do blog da Cyndi, que lê tudo o que é meu em todos os cantos, e ela é uma bailarina que praticamente adotei, hehehe.

      Grande beijo.

  8. Obrigada pelo super apoio, Cassinha!
    Sem sua revolta, nenhum alarde seria feito. Vc é demais, queridona!

  9. Plagios são coisas muito serias,alem de ser crime,é uma baita falta de criatividade.Vc tem razão sobre sua indignação.
    Cassia não sou bailarina,mas acompanho seu blog a tres meses,vc merece parabéns pelo trabalho.
    Bjs

Os comentários refletem a opinião das leitoras e dos leitores e não correspondem, necessariamente, à opinião da editora do blog.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s