Ensinamentos de Vaganova [1]

Se há um livro essencial para qualquer bailarino é o Princípios básicos do ballet clássico, da Agrippina Vaganova. Não chega a 200 páginas e, mesmo assim, a base está lá.

Pela dificuldade em encontrá-lo em português, volta e meia ele aparecerá por aqui. Não vou reproduzi-lo integralmente, ele é protegido pela lei de direitos autorais, mas publicarei algumas passagens. Mesmo assim, Ediouro, relance o livro! As bailarinas agradecem.

Escolhendo o trecho de abertura, encontrei algo perfeito. Vocês se lembram do post Encaixe de quadril não existe, o motivo de maior celeuma já existente neste blog. Pois bem, vamos às palavras de Vaganova.

Estabilidade – Aplomb

Dominar a estabilidade na dança, ganhar aplomb, é uma questão de primordial importância para qualquer bailarino.

O aplomb é aperfeiçoado durante os anos de treinamento, e somente pode ser inteiramente alcançado no fim do estudo. Por isso mesmo, acredito ser necessário incluir o aplomb entre os conceitos básicos do ballet clássico, porque um corpo corretamente aprumado é fundamental para qualquer passo.

[…] Esta estabilidade definitiva é alcançada somente quando o bailarino se conscientiza e sente a parte colossal que as costas representam no aplomb. O tronco do aplomb é a espinha. O bailarino aprenderá a sentir e controlar sua espinha através da observação de sensações musculares na região das costas durante vários movimentos.

Quando o bailarino tiver o perfeito sentimento disso, e ligá-lo aos músculos da região da cintura, estará apto a aprender e entender esta linha mestra da estabilidade.

Agrippina Vaganona, em Princípios básicos do ballet clássico, p.37-9.

Basta trocar a palavra espinha por coluna e teremos a base da postura no ballet clássico. Resumindo: o foco é coluna, costas e abdome, não quadril. Ele é consequência dos outros três.

De hoje em diante, não ouvirei mais argumentos em relação a esse assunto. Fico com a Vaganova. Pelo menos para mim, é dela a palavra final sobre ensino do ballet clássico.

Anúncios

6 comentários sobre “Ensinamentos de Vaganova [1]

  1. Parabens pr todos que estao falando sobre a grande mestre do ballet agrippina, sou ator bailarino e coreografo, sempre gostei dos metodos da nossa mestre, se vcs tiverem algo mais isbre ele por favor me mande, estou montando um projeto e epetaculo sobre a vida de agrippina vaganova, um grande abraço, e obrigado.

  2. Chora que nem eu , Patrícia, reverbero sempre que não acho esse livro , não pelo prazer de ser reclamona, mas na esperanças de que pelos percalços e caminhos da internet alguém da editora ou sei lá saiba e reedite… eu nao perco as esperanças (e valeu a pena não perder)

  3. Adorei esse blog, tem tudo que eu quero saber e aprender sobre ballet, todas as minhas dúvidas e um pouco mais, como faço pra conseguir esse livro?

  4. Eu nem li, porque eu já concordo com você há um tempão, não li porque eu não quero mais saber desse livro não – humpft – porque ele não tem pra vender em lugar =P e eu não tenho ele – e eu quero!
    bjo querida… não sei se já te disse, mas um dia eu tive vontade de fazer um blog de ballet e dança. Depois que conheci aqui eu desisti, porque tem tudo que quero, que preciso ,que gosto e vai além… ah sim e de brinde tem uma autora que me atura horrores e aidna diz que eu sou fofa! *.*

  5. Cássia, maravilhosa essa informação que vc passou!!! Obrigada por compartilhar conosco informações tão necessárias! Espero conseguir tomar consciência corporal necessária para o equilíbrio e assim melhorar minhas execuções.
    Beijuuus
    Ps: Uma coisa que sempre considerei absurdo é ser o direito autoral mantido, no caso monopolizado por editoras, nos casos em que não publicam novas edições. Ou seja, a cópia não é permitida, mas não publicam novamente para quem deseja adquirir a obra. Mas essa é a lei atual, e assim devemos respeitá-la.

  6. PERFEITO!! Eu tenho o livro. Eh maravilhoso. Com isso, meu equilibrio melhorou muito e as piruetas tambem. Na semana passada a professora nos deu uma dica, mas nao sei se funcionara para todo mundo. Ela disse que quando ficamos em pe (primeira ou seconda posicoes), se conseguirmos ver os pes, isso significa que estamos colocando muito peso sobre os calcanhares e assim fica dificil nos equilibrarmos no releve ou passe. Desde quando consegui colocar o peso do corpo um pouco mais para frente, nao tenho tido maiores problemas com o equilibrio. Beijos, Juliana

Os comentários refletem a opinião das leitoras e dos leitores e não correspondem, necessariamente, à opinião da editora do blog.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s