Amanda Schull

Dia desses, a Tays publicou no Twitter o trailer de O último bailarino de Mao. Hoje, no Facebook, o The Ballet Bag publicou uma entrevista com Amanda Schull. Aposto que todas se lembram dela, é a Jody de Center Stage.

Pois qual não foi a minha surpresa ao descobrir que ela faz parte dos dois.

Dez anos separam um filme do outro. E a gente continua olhando para ela e se reconhecendo como bailarina.

Quem quiser ler a entrevista, clique aqui.

Anúncios

9 comentários sobre “Amanda Schull

    1. Mari, parece que O último bailarino de Mao vai estrear agora dia 20 de agosto nos EUA. Aqui ele passou na Mostra Internacional de Cinema de São Paulo. Vamos torcer para estrear aqui também. ;)

      Grande beijo.

  1. Oi Cássia!!! Como vai? Eu sou a Marcela, q entrou em contato com vc pra saber sobre o curso de Letras…

    Passando só pra deixar um beijo e dizer que seu blog está maravilhoso, como sempre!!!

    Adoro seus posts!

    Ah, gostaria de sabe tb se vc já fez alguma postagem sobre métodos de ballet… Se não, fica a dica!! rsrs

    Beijo!!!!

    1. Querida Marcela, como você está? Eu lembro da nossa conversa por email. Obrigada pelos elogios. E eu ainda não fiz um post sobre métodos de ballet. Pode deixar que pesquisarei com calma e farei. ;)

      Grande beijo.

  2. Olá Cássia!

    Em primeiro lugar, quero parabenizá-la pelo blog! Pra mim, é o melhor blog que já li sobre o tema ballet, principalmente ballet adulto.
    Eu sou uma leitora assídua do seu blog, já li todos os posts passados e acompanho diariamente.
    Eu sou aquele tipo de bailarina curiosa. Gosto de ler sobre o tema, pesquisar, observar, eu leio todos os comentários, fóruns e debates, mas nunca comentei por pura falta de tempo (porque leio o blog durante o expediente de trabalho, que é quando tenho um ‘tempinho’ pra mexer na net), porque assunto não me falta!
    Confesso que tirei muitas dúvidas lendo posts aqui do blog, aprendi muitas coisas novas e muito mais avançadas do meu nível técnico.
    Eu fui uma baby-ballerina, dancei até os 8 anos, quando entrei de cabeça no jazz. Esqueci o ballet.
    Na adolescência, enfiei na cabeça que dança era coisa de mulherzinha e me desprendi da dança, fui treinar kung-fu e handball.
    Anos depois, com 18 anos, percebi que toda aquela meiguice, e feminilidade que toda mulher deve ter, eu não tinha.
    Por praticar esportes muito ”masculinos’, passei a ser uma pessoa bruta e, ora, tensa, preparada pro ataque. Aí senti falta do ballet, da leveza e da graça feminina.
    Mas por vergonha de voltar pro ballet depois de velha, deixei pra lá.
    Aos 20 anos, resolvi me desprender do preconceito e procurei pelo ballet na nova escola de dança na cidade.
    Me matriculei.
    Mal sabia eu, que a escola não era nova, e de novo só havia o endereço…
    É a Escola de maior tradição na minha cidade!
    Eis que o frio na barriga me pegou de surpresa, mas encarei o desafio de dançar em uma escola de ‘renome’.
    A sorte é que a turma adulta era nova, com pessoas como eu, que não lembravam nem como segurar na barra fixa. haha
    A professora, maravilhosa!
    Me identifiquei logo de cara.
    Passei a freqüentar as aulas feliz e sorridente, andando pela cidade de meia-calça rosa e coque no cabelo.
    Me encontrei no ballet.
    Então, nesse sábado, após a aula, a professora me chamou em seu escritório e fez a seguinte pergunta: “querida, é você que faz faculdade de dança?” e eu, como uma futura advogada, respondi que não, que o único contato com o ballet é o que ela me ensinou (visto que não lembrava nada das aulas de quando era criança).
    Aí ela comentou que achou que eu fazia faculdade de dança, porque eu sabia muitas questões técnicas (devo isso ao seu blog, há), e me mostrava muito mais interessada que as outras alunas, porque eu sempre fazia alguma pergunta, ou deixava algum comentário, algo que demonstrava meu maior conhecimento e interesse.
    E enfim, me fez a proposta de estagiar com ela nas turmas de baby class.
    Fiquei sem resposta. Não sabia se aceitava ou não… Nem se daria conta de ser uma ‘tia’ do ballet.
    Aí ela me explicou que o objetivo era me preparar para uma possível formação acadêmica em ballet, técnica e que sentiu em mim uma ‘futura professora’. Fiquei deslumbrada! A MINHA professora me elogiando, assim, de graça…
    Bom, aceitei a proposta e começo a estagiar na segunda e quarta-feira que vem. Tô ansiosa, não sei como é ser estagiária de ballet.
    Tô encarando como uma oportunidade de conhecer mais sobre o universo, sobre como é ser uma professora de ballet, pra saber se vale à pena investir na formação acadêmica, e lógico, mais tempo de treino, porque ao ensinar, a gente acaba treinando junto. Ela vai me passar o cronograma das aulas, me dar algumas ‘aulas’ extras pra que eu possa acompanhar previamente a evolução dos exercícios e não ser pega desprevenida com alguma variação que eu não conheça. E claro, eu não vou dar as aulas, vou apenas auxiliar. Ela fala os passos eu demonstro pras alunas.
    Então, no fim da minha odisséia, fica a pergunta: Será que fiz bem em aceitar? O que você pensa sobre o assunto?
    Conhece algo sobre estagiárias de ballet?
    Beijão e desculpa a ‘bíblia’ que eu escrevi… Falei que assunto não me faltava, hahaha.
    Até Mais!
    ;**

    1. Juliee, pode escrever o quanto quiser. ;) Eu fiquei impressionada com toda a sua história. Sabe quando você percebe que as coisas aconteceram quando tinham de acontecer? Você fez ballet quando criança, foi para o extremo de atividades pesadas, resolveu voltar. A sua professora não te elogiu de graça, ela enxergou o seu potencial e a sua dedicação. Você realmente mereceu! E o que eu acho de você ter aceitado? Sensacional. :D Você não precisa desistir do direito, nem se dedicar totalmente agora ao ballet agora. É estágio, você verá como tudo funciona, aprenderá as poucos. Não conheço sobre estágios de ballet, o pouco que sei é o que você contou, de futuras professoras começarem como assistentes de professoras formadas. Ou seja, você está indo pelo melhor caminho possível. Fique tranquila, aproveite a oportunidade e confie na sua professora. Pelo que você contou, até eu me tornei fã dela. Ah, e fiquei muito feliz de você ter lido o blog todo, de verdade. E quando começar o estágio, venha contar, se quiser. Adorarei ouvir.

      Grande beijo e boa sorte!

  3. Amei os Dois Traillers! Confesso que não tinha visto Ainda Center Stage.. mas hoje mesmo (ja que estou de folga) vou correr a uma locadora e tentar alugar ^^

    Um beijo e uma ótima Terça Feira!

    Su.

Os comentários refletem a opinião das leitoras e dos leitores e não correspondem, necessariamente, à opinião da editora do blog.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s