O que você quer?

Only When I Dance (Só quando eu danço) é um documentário que conta a história de Irlan Santos da Silva e Isabela Corasy, dois adolescentes bailarinos e sua trajetória para se tornarem profissionais.

Não sei em que ponto o documentário termina, mas hoje Irlan faz parte do American Ballet Theatre II, companhia que prepara bailarinos com potencial para ingressar na companhia principal, e, depois de passar pela Companhia Deborah Colker, Isabela integrará a São Paulo Companhia de Dança no ano que vem.

No último post do ano, a intenção é olhar para si mesma e perguntar: “O que eu quero?”. Muitas vezes, reclamamos de mil coisas, entre elas de não alcançar determinados patamares no ballet, mas são pouquíssimas que sabem o que realmente querem. Prestem atenção nas palavras desses dois bailarinos. Ele queria se mudar, levar os pais para outro lugar. Ela queria fazer parte de uma companhia clássica. Ele mora em Nova York, ela ingressou numa companhia que não é especificamente clássica, mas onde gastará muita sapatilha de ponta.

Talvez a maioria de nós não pense em ir tão longe. Sem problemas, pensemos em outros objetivos. Voltar a dançar? Conseguir realizar uma pirueta dupla? Começar nas sapatilhas de ponta? Dançar nas pontas sem medo? Fazer um grand jeté de 180º? Apresentar o seu primeiro solo? Usar um tutu prato pela primeira vez? Aprender a fazer um fouetté? Ser uma especialista em ballets de repertório? Se aprofundar em técnica clássica? Aprimorar os estudos teóricos sobre dança? Enfim, o que você quer?

Os objetivos devem ser possíveis, senão de nada adianta. E caso descubra-se, no meio do caminho, que não era bem isso, basta seguir um outro rumo. Mas saber o que se quer é importantíssimo para algo deixar de ser um sonho ou desejo e se tornar realidade.

Um feliz 2010 com sonhos possíveis para todas nós.

Anúncios

10 comentários sobre “O que você quer?

  1. Oi Cássia!
    Estava relendo alguns posts sobre a profissionalização, enfim os caminhos que vc poder seguir pelo ballet clássico, e queria te perguntar uma coisa.

    Se uma pessoa começa entre 20-30 anos no ballet, e quer aprender muito da dança, não necessariamente de palco e/ou repertório mas da dança em si, da técnica, dos passos e etc, pra poder um dia chegar na liberdade de poder pegar qualquer música e conseguir improvisar uma coreografia de ballet, nas pontas, essa pessoa deve ir atrás de um curso que de profissionalização, ou isso depende do esforço pessoal, independente de diplomas e afins.

    Porque quando eu penso sobre o que gostaria de fazer em relação ao ballet sempre penso em muita aula, muito treino e poucas porém boas apresentações, quem sabe, mas sendo mais importante alcançar uma certa “independência” ou autonomia da própria dança. Aquela história de sair dançando improvisadamente sozinha, mas, claro, com a máxima técnica possível.

    O que vc acha sobre isso?

    Obrigada, e até mais. :)

  2. Bom a minha história não é muito diferente das outras Bailarinas.aos 4 anos sem nem saber oque era Ballet eu abria um espacatte muito bonito..5 colocava os dois pés atrás do pescoço e me arrastava com as mãos…mas demorei muito para entrar no Ballet e o tempo passou…no inicio desse ano com 13 anos eu entrei em uma academia.e minha flexibilidade foi voltando aos poucos jáh faço tudo q fazia antes…me dediquei cada segundo.eu podia dançar para a vida inteira.mas nada éh perfeito.áh alguns meses atrás minha professora falou da apresentação que será mês que vem..apresentação da Alice no País das maravilhas…todas dançariam é claro! mas apenas uma seria a alice…oque me chamou muito a atenção pq estáh escrito como no filme:Ballet shoes..q no Brasil éh sapatilhas de Ballet.enfim os testes para alice começaram…quem fosse a escolhida abriria a apresentação com uma dança uníca…e eu fui para as finais…4 meninas para finais…eu ensaiei horas..dei tudo de mim…hoje foi a última dança para a decisão final…e como sempre eu fracassei…sai de láh certa q ia me segurar não ia chorar..e ficar bem..mas naum deu eu me acabei de chorar…minha mãe disse que não posso desistir no meu primeiro (não) pq a vida éh assim…mas a ideia de q eu fracassei na melhor coisa q eu faço éh horrível..tenho vontade de explodir..e pensei seriamente em largar tudo…mas não posso.não vivo sem dançar…realmente posso ser a pessoa mais fraca do mundo mas quando se trata da melhor coisa q eu faço..naum posso ser assim…pretendo seguir em frente e esquecer disso afinal amo mas o Ballet q a mim mesma..mesmo assim ainda tem a outra apresentação em que todas vão se apresentar.e éh claro eu vou estar láh com um sorriso no rosto é a esperança do coração que toda Bailarina tem.

  3. É sim Cássia. Acho que esse ano vou poder contribuir mais nessa parte histórica, se tudo der certo vou ter aulas teóricas além das práticas, não de balé clássico, mas de dança moderna. De todo modo, acho que as histórias se encontram. Ah, e o melhor de tudo: o curso é de graça, é oferecido pela Universidade Federal do Paraná XD.

  4. Suelen, o bacana é que você voltou e sabe bem o que quer. E, por favor, quando você fizer a Kitri, me avise. Não importa quando seja. Eu sou apaixonada por Dom Quixote e vê-la realizar esse sonho será lindo. Plateia você já tem! :D Um 2010 lindo e encantador para você.

    *

    Emily, você quer dançar para a pessoa mais importante que existe, oras, você. ;) Quando eu fiz dança cigana, a professora era incrível e dizia que “A bailarina dança primeiro para Deus, segundo para ela, terceiro para o público”. É lindo pensar assim. E tenho certeza que você voltará, nem se preocupe. E que em 2010 você volte às sapatilhas com todo esse amor pela dança que você carrega desde sempre.

    *

    Simoní, sou do mesmo clube, faço a listinha todo ano. ;) E tem razão, se não conseguimos aquele ano, mesmo com dedicação, talvez não fosse mesmo para ser. Se a gente continua querendo, mais um motivo para tentar de novo, quem sabe de um outro jeito. Isso é uma das coisas mais bacanas. Para você, um 2010 lindo e com dança além da conta.

    *

    Ana, quando somos adultas existe isso, né? Temos de organizar uma série de outras coisas para que a dança continue a fazer parte da nossa vida. É mesmo, aquele grupo que comentamos aqui? Feliz 2010, bailarina!

    *

    Priscila, muito obrigada! E que comentário mais lindo o seu, de quem sabe bem o que quer e está supertranquila com isso. Ai, e que graça seu marido todo bobo! Feliz 2010 para você.

    *

    Leticia, só esse trecho valeu para o ano todo: “Cada um sabe o tamanho do seu sonho ou aonde ele está. As pessoas se frustram por muito fazerem e acharem que por estar fazendo, elas tem que receber uma recompensa ou um presente que cai do céu.” Você tem toda razão. E, muitas vezes, a recompensa chega num momento qualquer de uma aula, sem que ninguém perceba. Mas sabemos o quanto trabalhamos para conseguir o que conseguimos. Lindo 2010 para você!

    Beijos.

  5. Cássia,
    como tudo na vida é necessário algum foco para chegar lá. Mesmo que o foco seja fazer as aulas da melhor forma possível e se apresentar no fim do ano. Cada um sabe o tamanho do seu sonho ou aonde ele está. As pessoas se frustram por muito fazerem e acharem que por estar fazendo, elas tem que receber uma recompensa ou um presente que cai do céu. Você pode ser a melhor bailarina da sua escola, e talvez isso te baste… ou não. Cabe cada um se questionar.
    Já conversamos e vejo o ballet de forma diferente. Não quero ser primeira bailarina, não quero ser profissional… mas isso não me impede de querer ser boa, dedicada. Quando adulta, vejo que isso contrasta um pouco com colegas de sala, professores, metodologias, escolas. Não temos todo o tempo do mundo, mas temos algumas outras dificuldades diferentes. Tanta coisas.
    Meu desejo de 2010 para o ballet é conseguir subir nas pontas e dar o meu melhor. E também melhorar na meia ponta. A longo prazo? Ainda não sei… não sei… podem ser tantas coisas!
    Beijos
    lelê

  6. Cassinha querida, amei esse post…rs ( na verdade amo tudo o que vc coloca aqui…rs)

    Então, quando entrei pro ballet, era só pra melhorar a postura, e só isso! Maaas, foi IMPOSSÍVEL não me apaixonar pela delicadeza dos movimentos, pelo romântismo, por tudo o que a dança está me proporcionando.
    Agora eu não sei mais o que é viver sem o ballet.
    Nem de longe quero fazer parte de alguma companhia, nenhum preconceito não hein..rs. É que danço simplesmente pq me faz bem. Sei das minhas limitações, e o meu objetivo é esse: ser feliz dançando, feliz executando os movimentos delicados,feliz em ver meu marido todo bobo acompanhando os meus passos, feliz comigo mesma, por ter encontrado no ballet uma motivação pra tudo!

    É isso..rs!!

    Excelente Ano Novo Cássia!! Tudo de melhor pra você!!!

  7. Ah, meu primeiro objetivo esse ano é não parar de dançar.

    Antes disso eu preciso cuidar de outras coisas na minha vida que não é a dança, mas que vai influenciar essa área.

    De qualquer forma já tenho meus objetivos traçados, um deles é aquele grupo de estudo sobre história da dança.

    É isso aí.

    Feliz 2010!

  8. Olha Cássia, todo final de ano eu sempre tento me planejar, idealizar metas e objetivos para o novo ano que irá iniciar, tenho até o costume de escrever o que quero em um papelzinho na noite da virada mesmo e guardo-o comigo no decorrer do ano, faço isso desde que era criança. :)
    Jamais deixo de sonhar e acreditar, ao final do ano quando abro meu papelzinho e me deparo com alguns objetivos que não alcancei, não me sinto frustrada, pelo contrário me dá mais vontade de lutar e conseguir. Não tenho medo de arriscar, se não der certo é porque não era pra ser.
    Belo post, adorei!

    Desejo uma ótima passagem de ano para você e seus familiares!
    E um Feliz 2010 também, repleto de saúde, paz e muitas conquistas!

    Beijos :*

  9. Cássia eu sempre me perguntei o que eu queria de verdade quando entrei no ballet.
    Primeiro eu queria só um exercicio pra não ficar parada e ter com que eu me distrair,depois queria aprender todos os passos e ter a perna mais alta possível,um gran jeté de 180º como vc falou ai no post,saber fazer mil e um foutté… que
    nem no ballet da cinderella em que a solista faz 32 fouttés sem parar…sou louca por isso… e até pensei em ser professoa ou bailarina profissional.

    Mas quer saber a real?

    Não tenho elasticidade de uma criança,nem resistência,nem força pra aguentar uma perna alta,nem velocidade e tecnica pra um gran jeté ou foutté,nem paciência pra ensinar nem pra aguentar a rigidez e trabalho duro,MUITO DURO exigido pra quem quer ser profissional.

    Vou desistir do ballet apesar de eu não ter tudo isso? NÃOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOO!!!!!

    Apesar das dificuldades financeiras,assim que tiver oportunidade pretendo voltar e dançar,mesmo com todas essas limitações.Quero dançar pra mim,porque gosto,sendo boa ou não o importante é DANÇAR.

    O que eu quero do ballet é que eu possa dançar,mesmo não sendo boa,me apresentar,fazer amigos e ser feliz como uma eterna aprendiz.

    Cássia,que em 2010 vc gaste muito a sola da sapatilha.

    Bjsss

  10. Cássia…..adorei o post….acho que demorei muito tempo para voltar para o ballet justamente pq estava tentando descobrir qual era meu desejo…..hoje eu sei….quero ser capaz de dançar um ballet de repertório…..de preferencia Dom Quixote. Irei trabalhar em 2010 para isso!
    Feliz Ano Novo para vc e para os seus!
    Torço para que seus sonhos e desejos se realizem! Beijos e feliz 2010!

Os comentários refletem a opinião das leitoras e dos leitores e não correspondem, necessariamente, à opinião da editora do blog.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s