Quando percebi que sou uma bailarina

Enfim, depois da primeira experiência nem tão feliz, havia chegado a hora de me apresentar novamente. Muitos e muitos e muitos ensaios, vários quilos a menos, dois tutus românticos, duas coreografias de ballet (fora as coreografias de jazz e dança do ventre que não comentarei aqui) era hora de me sentir bailarina para valer.


Valsa das Flores, do ballet O Quebra-Nozes. Eu estou do lado esquerdo, a primeira de cabeça abaixada.

A primeira coreografia foi a Valsa das Flores. Nós abrimos o espetáculo e esse foi o momento mais elogiado pela plateia. Várias pessoas choraram. Eu tenho um palpite para tamanha comoção: além da bela coreografia, aí, nesse círculo, a bailarina mais nova tinha 9 anos. E a mais velha, mais de 50. Além de bailarinas de 14, 16, 20, 25, 29, 32…

A turma inteira era formada, basicamente, por iniciantes. Dançamos juntas e lindamente. Foi a prova clara de que não há idade para começarmos no ballet, ao contrário do que dizem por aí. E, nesse momento, eu me dei conta: eu realmente havia me tornado uma bailarina.


Valse des Rayons, do ballet Le Papillon. Eu estou bem na frente.

A segunda coreografia (e a décima do espetáculo) foi a Valse des Rayons, do ballet Le Papillon. Digamos que ele é primo de Le Sylphides. Das quatro coreografias que dancei, essa foi a mais ensaiada. Eu acordava com a música tocando na minha cabeça. O resultado foi visto no palco, as sete bailarinas estavam bem afinadas. Dancei essa muito melhor do que dancei a Valsa das Flores. É só prestarem atenção nas fotos a seguir.

De branco, Le Papillon. De rosa, Valsa das Flores. Os braços em quinta posição e os pés na meia-ponta comprovam em qual delas eu dancei melhor.

No fim do espetáculo, ouvi da minha fisioterapeuta: “Você estava linda!” E eu respondi: “Eu errei em todas as coreografias!” Este é o tema do próximo post: essa mania de bailarina soltar a fatídica frase “Eu errei”.

*
As imagens estão ruins porque foram tiradas do DVD, graças à qualidade dos fotógrafos presentes que me deixaram sem boas fotos para eu guardar de recordação.

*
Quem chegou depois ao blogue e ainda não leu o post sobre a minha primeira apresentação, clique aqui.

Anúncios

25 comentários sobre “Quando percebi que sou uma bailarina

  1. Acho que percebi que era bailarina antes mesmo de perceber que era gente, isso corre nas minhas veias, e até quando já pensei em largar a dança, o ballet, é quando ela me abraça com tanta força que me sufoca, pra eu não sair dessa vida tão boa de se dançar, ops! de viver rs É o maior amor que já conheci na vida.

  2. Querida Lulis, muito obrigada! Mas quem arrasou naquele espetáculo foi você, né? Você dança muito bem, moça! Muito mesmo. Eu tirei as fotos do DVD porque não tenho fotos bacanas da apresentação, infelizmente. E sabe que cada vez que vejo essa foto da Valsa das Flores, acho nosso figurino mais bonito ainda?

    Muita dança para você também!

    Doce beijo.

  3. Realmente Le Papillon estava perfeita e vc dançou lindamente. Adorei ver que também apareci indiretamente na Valsa das Flores, as imagens ficaram muito boas, nem parece que foram tiradas do DVD.
    Beijos e muita dança !
    Lulis

  4. Ana, eu comecei aos 28 anos e hoje eu tenho 30. Você é nova, pode muito bem começar e seguir em frente. Procure uma boa escola, comece as suas aulas e encontre a realização que você tanto quer. :)

    Grande beijo.

  5. nossa… fiquei bem mais animada em ver teu blog…
    eu tenhu 16 anos e meu sonho é ser uma bailarina.só q naum é o sonho de meninha naum é o que eu realmente preciso pra me tornar uma pessoa realizada.
    todos q entendem um pouco do mundo do ballet diz q eu seria mto boa… por causa da flexibilidade do pé e etc … só q as circustancias nunca me deixaram mergulhar no que eu realmente sempre quis pra min … desculpe mais qtos vc tem e com qtos começou…
    parabénss… as fotos tao mto bonitas ..passei por aqui sem qurer mesmo …
    um fortee abraçoo e voltareii emm ??rsrs

  6. Thays, quanto tempo! :D Estava com saudade dos seus comentários. Sobre os vídeos, ah, eu morro de vergonha! Sabe quando você assiste e pensa “Gente, sou eu?” Hehehehe. E muito obrigada pelas palavras e por acompanhar o blogue desde o começo, de coração.

    Imenso beijo.

  7. Cássia!!
    Que lindo!!! Poxa, não tem como vc colocar o vídeo no youtube, não?! To verde de curiosidade pra te ver em movimento!!
    As roupas realmente estão lindas! As minhas roupas de apresentação de clássico sempre foram tão mixuruquinhas…
    Você pode ter percebido que é bailarina só agora, mas aposto que quem acompanha seu blog percebeu isso há muito tempo!! heheh
    A sua paixão por essa arte e a dedicação estão estampadas aqui, tanto na escrita como em fotos e vídeos!
    É… vc É uma bailarina :)

  8. Paola, os seus comentários mais recentes têm me mostrado o que eu havia esquecido: a diferença entre saber a técnica e saber dançar. A alma de bailarina, a nossa capacidade de emocionar as pessoas, tudo isso vai além. Você não faz ideia do quanto tem me ajudado, de coração.

    *

    Cosette, muito obrigada! E pelos comentários que você já fez sobre a sua professora, ela parece ser muito bacana e bem aberta sobre as suas sugestões. Fale com ela! Um espetáculo não precisa ser grandioso, basta querer dançar e criar. Quem sabe o espetáculo não acontece? ;)

    *

    Juliana, muito obrigada pelos elogios e pelo carinho. E por que não se orgulha de ter chorado? Você se emocionou com algo importantíssimo para você, não há nada do que se envergonhar, muito pelo contrário. Era o seu coração dizendo que quer voltar a dançar, viu? E você vai voltar a dançar e com certeza terá fotos liiiiiiiiiindas, com um figurino incrível e com você sorrindo de orelha a orelha! :D Tenho certeza disso. E volte mesmo para contar sobre o início das suas aulas, hein?!

    *

    Dina, muito obrigada! Então, ainda não sei o que dançarei este ano. Eu parei com as outras danças, agora é só o ballet. Das ouutras, eu sinto falta mesmo é da dança cigana, mas com essa eu nunca me apresentei, parei as aulas antes do espetáculo (que era numa outra escola). E as dicas que recebi foram da querida Karen, uma excelente professora, dona do blogue Ballet Adulto e moderadora da comunidade Ballet Adulto do Orkut (os links dos dois estão na lista ao lado). Fale com ela, tenho certeza que ela tirará todas as suas dúvidas. E não se preocupe com os comentários, apaguei dois mais diferentes, hehehe. É que só o dono do blogue consegue apagar, mas nem se preocupe com isso.

    *

    Simoní, muito obrigada, e foi bacana mesmo ter bailarinas de todas as idades reunidas, deve ter sido ainda mais bonito para quem assistiu!

    *

    Carol, na verdade, as três coreografias que já dancei só tinham a música do ballet de repertório, as coreografias foram criadas pelas professoras. Nesse espetáculo mais recente, só as mais velhas dançaram repertórios para valer, foram solos de Dom Quixote, La Fille Mal Gardèe, Giselle e o Pas de Trois do Corsário. E sobre a turma, como eu já falei aqui e lá na comunidade, o meu curso é regular, 8 anos de curso, exame com banca, boletim, e as firulas que um curso desse tem. Não há uma especificação para adultas, até porque seria difícil montar uma turma para ficarem juntas por 8 anos. Onde faço, a maioria das alunas são adultas, mesmo que não haja qualquer especificação para isso. O seu curso é livre, e cursos livres geralmente possuem a denominação adulto. Crianças fazem cursos regulares em 99% dos casos.

    Beijos.

  9. uma outra coisa q queria comentar é que achei interessante ser uma turma de iniciante (e por isso ter uma menina de 9 anos). a minha turma é Iniciante Adulto. Por isso que seu método é diferente do meu… o seu é mais longo, como se vc comecasse criança. Interessante

  10. adorei o post. eu quero mto dançar parte de algum ballet de repertorio! nao sei ainda qual vai ser o tema da apresentação de meio de ano!

  11. Desculpa, cassia, acho que fiz uma bagunça no seu blog ne… é que fui mostrar pra minha irmã e ela acabou postando aqui um comentário que era para outro blog, a gente tentou apagar mas como não conseguimos, deixamos por sua conta (sabe como é irmã menor)…
    aproveito pra dizer que ela também adorou o blog, se vc vir algum comentario assinado como Alice provavelmente será dela!! meu nome é Dinah, assino como Dina pq remete a adorada Dina Nina!!!
    Beijos!!!

  12. Que lindo! *-*
    Deve ter sido muito emocionante ver a apresentação das bailarinas de todas as idades, isso prova que esse preconceito bobo sobre idade já está mais que ultrapassado e o que realmente conta e a vontade e o amor pela Dança, que independe disso.
    Ah sobre os erros, como você mesma falou toda bailarina tem isso, sempre acha que poderia ter feito melhor e tal, isso é bom pois ajuda a nos esforçarmos cada vez mais para superar o tal erro (que as vezes nem existiu), a autocrítica é até comum contanto que não seja em exageros.

    mais uma vez muito lindas as fotos, parabéns!

    ^^

  13. Ah, esqueci de perguntar!!! vc disse (num post anterior) que recebeu dicas pra nao ficar com joanetes, que dicas maravilhosas sao essas?? beijos

  14. Oi Cassia!! Adorei ver fotos suas de bailarina!!! esse ano será minha primeira apresentação no ballet, pq ano passado não pude participar por questões geográficas (mudei de cidade – fiquei sem aulas), estou bem ansiosa!!
    adorei os seus figurinos, principalmente na primeira foto!!!
    parabens!!!
    já sabe o q vc vai dançar esse ano??
    vc ainda faz jazz e dança do ventre ou ficou so no ballet?? qdo mais nova, fiz jazz, mas depois de 3 anos e vaaaaaaarias apresentações acabei enjoando, ja havia feito ballet tbm (mas por pouco tempo), foi procurando aulas de jazz q acabei reencontrando o ballet (os horarios do jazz eram incompativeis comigo), hoje amo muuuuuuuuuito!!!!
    beijos!!!

  15. Hey, Cássica! Como vai?

    Bom, é a primeira vez que eu comento por aqui, mas faz um tempo que eu venho seguindo o blog (lê-se entra todo dia pra ver se tem atualização, já leu todos os posts e lê todos os comentários x3).

    As fotos estão tão LINDAS! Eu fui toda “Ai eu quero ser assim, como a Cássia! *—*”
    E essa é outra coisa da qual eu queria falar… (senta que lá vem história…)

    Meu primeiro contato de verdade com a dança foi à 6 anos, quando eu comecei a fazer jazz. Foi amor à primeira sapatilha. Eu adoraaaaava, muito, muito, muito.
    Infelizmente, por infortúnios do destino, meu professor não pôde mais dar aulas, e estas entraram em hiatus, até arranjarem uma professora nova.

    O que dizer? Muitas das garotas do “grupo alfa” desistiram – as aulas dessa professora eram basicamente baby-class. Tanto na técnica quanto na nova turma.
    Resultado: eu também tive que parar.

    Sofri como uma Drama Queen por todo esse tempo… (eu ainda escuto e sei toda a coreografia da música que eu dancei no meu primeiro musical… kkkk Lady Marmalade…)
    Além de que algumas semanas atrás eu estava no shopping com a minha mãe quando as garotas do ballet da Academia estavam se preparando pra uma apresentação. Não me orgulho nem um pouco de dizer que chorei em plena praça de alimentação – não tive controle algum dos meus dutos lacrimais.

    Foi quando eu resolvi procurar um pouco mais sobre ballet adulto e/ou na adolescência. E o que achei? Hahá, um blog mais que inspirador…
    Ontem à noite, antes de sair pra escola, tomei oragem e desabafei para minha mãe o que eu queria e sobre todas as minhas pesquisas (isso inclui uma loooonga citação de DPdB ;p) e ela disse que me dá todo o seu apoio. Eu me senti tão feliz! E eu realmente espero que um dia eu possa olhar uma foto minha assim como as suas.
    (e que no próximo comentário eu já tenha algo concreto sobre minha iniciãção no mundo do ballet)

    xx, Juliana.

  16. Muitos parabéns, Cássia!

    As fotos estavam lindas!
    Oh, e não ligues ao facto de teres errado em quase todas as coreografia!
    Tenho a certeza que muitas outras bailarinas que dançaram contigo também erraram, mas mesmo assim a plateia delirou, e para tu dizeres que muita gente ficou a chorar, então quer dizer que estava um máximo a vossa coreografia!

    Muitos parabéns novamente! Nem sei o que dizer!
    As tuas palavras, a forma como descreveste o faccto de haver tanta variedade de idades a interpretar as coreografias.. eu fiquei realmente maravilhada!

    Quem me dera que a minha escola também preparasse assim representações! Tenho de falar com a minha professora! ;)

    Beijo, Cássia!

    P.S: Meu Deus, os vossos fatos eram mesmo lindos! Naquela primeira foto então.. nossa, está de +!

  17. minha linda,amei suas fotos…e vc verá que o ballet esta alem da tecnica,do peso,do corpo…. mas principalmente, na magia em emocionar as pessoas …se uma única pessoa chorar ao vê-la dançar, vc cumpriu a tarefa mais importante do ser humano….sensibilizar e proporcionar amor….
    bjouxxxx Paola

  18. Stephanie, fiquei feliz que gostou! Tem mais fotos no texto sobre minha primeira apresentação, coloquei o link no fim do post. Era um trecho do ballet Esmeralda e é o meu figurino preferido até agora. Ah, e que bacana, você fez dança do ventre. Eu já fiz também.

    *

    Ana, mas a gente fala muito isso, né? “Eu errei” é frase básica de bailarina, hehehe. Nossa, e você tem razão, ser bailarina é algo que vem de dentro para fora! Lindo isso.

    *

    Barbara, muito obrigada! =) Eu fiquei mesmo mais feliz com o Le Papillon, mesmo ficando megatravada e sem sorrir, hehehe. Aliás, preciso aprender isso, a sorrir no palco. E a gente caça mesmo pelo em ovo, seeeeeeeeempre acha algum defeito, nem que seja na fita da sapatilha. É impressionante!

    *

    Carol, veja as fotos também do outro post, eu coloquei o link no fim deste aqui. Eu me achei uma porpeta nesses dois aí de cima, hehehe. Concordo sobre o perfeccionismo, mas acho que nós bailarinas, muitas vezes, não aproveitamos a dança como deveríamos por conta disso, mas deixo para falar melhor no post sobre o assunto. ;) E você me fez rir absurdamente em frente ao computador quando falou sobre virar emo. Ri demais, muito bom, hehehehehehe.

    Beijos.

  19. UAAAU, vocêê! Adorei! Que bom que você começou a se sentir uma bailarina!
    E essa mania de falar sobre os erros… Ai, acho que não tem problema. Sou exigente comigo mesma com orgulho! NADA tá bom pra mim, eu sempre quero melhorar, e é assim que deve ser. Mas sem exageros, cortar os pulsos, chorar e virar emo também não adianta, né?
    BEEIJOS

  20. Não preciso nem me apresentar pra dizer que errei, até mesmo durante a aula na diagonal, eu sempre solto algo desaprovando minha performace rsrsrs…

    Sempre que eu danço na igreja também digo que errei… Péssimo hábito…

    Sobre ser bailarina, é algo que vem de dentro pra fora.

  21. Que lindaaa! Eu morria de curiosidade de ver uma foto sua dançando! adorei!

    E é verdade, quando eu fazia dança do ventre sempre saía da apresentação e falava “deu pra perceber que eu errei?”

    beijoss

Os comentários refletem a opinião das leitoras e dos leitores e não correspondem, necessariamente, à opinião da editora do blog.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s