Ballet in Form

Profissionais do ballet clássico reunidos em um site educacional apresentando vídeos sobre passos, combinações e outras informações a respeito da dança. Já imaginaram que grande ideia? Esse site existe, é o Ballet in Form.

Os vídeos são curtos, em inglês e sem legendas, mas bem explicativos. Mesmo quem não sabe o idioma conseguirá compreender bastante coisa; como o objetivo é ensinar, os vídeos são realizados com esse enfoque.

Para vocês terem uma ideia, assistiam à explicação sobre o plié apresentado por Margaret Tracey, diretora do Boston Ballet School. Entendemos perfeitamente que a maneira correta de realizar o demi-plié é formar um U e não um V, ou seja, o movimento deve ser contínuo em vez de descer-parar-subir.

Há várias maneiras de acompanhar o Ballet in Form: site, YouTube, Facebook e Instagram. Eu acompanho todos eles.

Plié tips from Margaret Tracey, Ballet in Form.

A coda do Pássaro Azul

Há dias em que apenas a beleza nos salva dos períodos nublados da vida e a delicadeza do Pássaro Azul, de A Bela Adormecida, é perfeita para isso.

Neste vídeo, assistimos apenas à coda, bem diferente dos 32 fouettés bem comuns nessa parte. Além disso, que musicalidade da Yuhui Choe! Impossível não voltar a sorrir.

Coda do grand pas de deux Pássaro Azul, A Bela Adormecida, Yuhui Choe e Alexander Campbell, Royal Ballet 2011/2012.

O canal da Julimel

Dentre os presentes que o blog me deu nos últimos anos, o mais precioso foram as amizades. Ganhei amigas para a vida inteira, que fazem parte da minha vida e do meu dia a dia.

Uma delas é a Julimel, do Vídeos de Ballet Clássico. Tenho o privilégio de receber seus áudios cheios de explicações sobre montagens de repertórios de várias companhias e recorro a ela quando não encontro informações precisas.

Pois bem, agora todos poderão usufruir do seu conhecimento, ela criou um canal no YouTube. Ainda há poucos vídeos, mas a atualização será constante.

Para publicar, escolhi o primeiro da série sobre O lago dos cisnes. Há várias coisas que eu sequer imaginava! Para assistir aos outros vídeos e se inscrever no canal, cliquem aqui.

Boa sorte, Ju!

Qual é a música?

Em uma tarde qualquer, uma música chega sem avisar e não sai da nossa cabeça. De repente, a coreografia também surge em nossa mente. Assim ficamos entre música e coreografia, coreografia e música, então reconhecemos a bailarina, a companhia, o figurino, dançamos em plena sala de casa e nada! Não conseguimos lembrar nem qual é a música, tampouco de qual repertório ela faz parte. Não sei vocês, mas sinto uma imensa agonia quando isso acontece.

Se eu não descubro sozinha, duas amigas bailarinas costumam me salvar, a Cyndi ou a Julimel. Hoje foi a vez da primeira.

A música e a coreografia em questão são da coda do terceiro ato de Raymonda. Nesse caso, era a Maria Alexandrova que não saía da minha cabeça nem por decreto, mas como não encontrei apenas esse trecho para publicar diretamente na página, vamos de Olesya Novikova com o Ballet do Teatro alla Scala.

Para mim, essa é uma das codas mais poderosas dos repertórios, só perde para a coda do segundo ato de O lago dos cisnes. A sequência de retirés é arrasadora!

Preciso dizer que ouvi essa música umas 20 vezes hoje?

“Coda do grand pas do terceiro ato”, Raymonda, Teatro alla Scala.