Romeo and Juliet: Beyond Words

Eu li Romeu e Julieta pela primeira vez aos 12 anos de idade, e reli tantas vezes que decorei passagens inteiras. Assisti ao filme dirigido por Franco Zeffirelli mais de uma vez. Assisti no cinema ao filme dirigido por Baz Luhrmann. Na mesma época, o ballet foi transmitido pela televisão, de madrugada. Fiquei acordada para assistir e o que aconteceu? Adormeci no sofá. Estou perdoada, eu era uma adolescente que tinha se apaixonado pelas palavras dessa história. Para mim, faltava alguma coisa na dança.

Só consegui assistir ao ballet com real interesse depois de ter começado a dançar. Confesso, não é uma obra que enche os meus olhos, porque a minha referência é a peça de teatro. Mas, depois de hoje, quem sabe eu mude de ideia.

A Cyndi compartilhou comigo o trailer de Romeo and Juliet: Beyond Words. É a coregrafia de Kenneth MacMillan e a música de Sergei Prokofiev, da montagem realizada pelo Royal Ballet, em uma obra cinematográfica. Sem falas, apenas a dança e os gestos, em locações onde se passa a história. Não, não é igual a essa versão de Giselle, com Carla Fracci no papel principal, feita para a televisão. É outra coisa, eu nunca vi nada parecido. Quer entender melhor? Assista ao trailer.

Trailer “Romeo and Juliet: Beyond Words”, Michael Nunn e William Trevitt, 2019.

William Bracewell e Francesca Hayward fazem os papéis principais. Quem quiser saber mais, acesse o site, o YouTube e o Instagram.

Eu contarei os dias para assistir.

Anúncios

Figuras da Dança

“Não temos um extenso material em português para estudo da dança.” Quem nunca ouviu isso? Essa é uma crítica bem comum. Não só, fala-se também que não conhecemos a nossa história da dança, que não há documentação suficiente ou que o acesso a ela é difícil. Há sim uma vasta pesquisa em dança no Brasil, ela apenas não tem a divulgação e o alcance que merece. Além disso, há bastante gente produzindo conteúdo sobre dança.

De tudo isso, uma coisa é certa: é mais fácil uma estudante de ballet saber quem é Anna Pavlova do que quem é Marcia Haydée. Mas é para isso que todas nós estamos aqui, não é? Para fazer a informação circular.

Posto isso, vamos ao assunto: desde 2008, a São Paulo Companhia de Dança produz uma série intitulada “Figuras da Dança”. Artistas responsáveis pela nossa história em documentários de, no máximo, 45 minutos. Já foram realizados 35 documentários, exibidos nos canais Arte 1, Curta! e TV Cultura, e também reunidos em caixas de DVD com livretos informativos. A série não é comercializada, ela é distribuída para instituições educativas e culturais.

Você está me perguntando, “Não tenho acesso a esses canais, não faço parte de nenhuma instituição, mas quero assistir. Como eu faço?”.

Dê três vivas para a internet: todos os episódios estão disponíveis online. No site da companhia, há a lista de episódios, do mais recente ao mais antigo, com uma breve explicação e um link para assistir diretamente no YouTube. Quer ver? Clique aqui.

Agora não tem desculpa: a partir desses episódios, é possível se aprofundar na pesquisa de quem mais interessa a vocês. Ou então, assistir a tudo, porque conhecimento nunca é demais.

Trailer de “Figuras da Dança”, 2010.