Uma bailarina brasileira na Vaganova Academy

Virgínia Mazoco é uma bailarina brasileira de 16 anos. Ela estudava na Escola do Teatro Bolshoi no Brasil e foi aprovada na Vaganova Ballet Academy, onde estuda desde setembro.

Para a maioria de nós, isso é absolutamente distante; para ela, é a realidade. Virgínia dança todos os dias onde Anna Pavlova, George Balanchine, Vaslav Nijinsky, Bronislava Nijinska, Rudolf Nureyev, Mikhail Baryshnikov, Evgenia Obraztsova e Olesya Novikova estudaram. Não só, na escola fundada por ninguém menos que Agrippina Vaganova. Vários artistas que me fizeram amar a dança. Eu fico emocionada só de imaginar.

Ontem eu recebi um e-mail da sua assessoria de imprensa para contar que nós poderemos acompanhar a estadia dela por dois canais:

O blog, aqui.
A página no Facebook, aqui.

Que seja apenas o começo, quero vê-la primeira-bailarina em uma grande companhia! Enquanto esse momento não chega, vamos assistir à Virgínia dançando lindamente?

Coda do grand pas de deux, La fille mal gardèe, Escola do Teatro Bolshoi no Brasil, Virgínia Mazoco e Wagner Carvalho, 2013.

Arenal

Sabe quando a gente se apaixona por uma obra? Primeiro, assisti a uma sequência e me encantei. Depois, assisti à obra completa e ela me ganhou para todo o sempre. Estou falando de “Arenal”, de Nacho Duato.

Nem todos vão gostar, é dança contemporânea. Mas quem quiser conhecer outros ares, irá se surpreender.

Esta é a sequência que amei. Para assistir à obra completa, aqui. (É a primeira do vídeo.)

Trecho de “Arenal”, Nacho Duato, Compañía Nacional de Danza.

Volta ao mundo

“Como são algumas das companhias clássicas ao redor do mundo?” Semana passada, eu contei como surgiu a ideia de responder a essa pergunta. Hoje, vocês verão o resultado.

Há mais de 200 países no mundo, e em uma semana é impossível aprofundar um estudo assim. Dessa forma, fiz uma pesquisa superficial. A base da seleção veio do Balletcompanies.com. Depois, fomos apenas eu, o Google e o mapa-múndi aberto na minha frente.

Para uma companhia constar na lista, utilizei o seguinte critério: ela deveria ter remontado, pelo menos, um ballet de repertório. Ao todo, selecionei 58 países e uma ou duas companhias por país. Mantive os seus nomes originais quando eram em inglês, alemão, francês, italiano, espanhol ou português; nos demais idiomas, coloquei o nome em inglês.

Não facilitei para ninguém, não escolhi vídeos ou fotografias, apenas sites ou páginas no Facebook. Para abri-los, basta clicar no nome da companhia. A graça é vasculhar esses links e descobrir o ballet clássico pelo mundo afora.

Há várias considerações a serem feitas, mas as deixarei para um outro momento. Primeiro, descubram por vocês. Pelo menos para mim, o ballet clássico nunca mais será o mesmo.

AMÉRICA

Argentina
Ballet Estable del Teatro Colón

Brasil
Ballet do Theatro Municipal do Rio de Janeiro
Companhia Brasileira de Ballet

Canadá
The National Ballet of Canada

Chile
Ballet de Santiago

Cuba
Ballet Nacional de Cuba

Equador
Ballet Nacional de Ecuador

Estados Unidos
American Ballet Theatre
The New York City Ballet

Guatemala
Ballet Nacional de Guatemala

México
Ballet de Monterrey

Panamá
Ballet Nacional de Panamá

Peru
Ballet Municipal de Lima
Ballet Nacional

Uruguai
Ballet Nacional Sodre

Venezuela
Ballet Teresa Carreño

EUROPA

Alemanha
Hamburg Ballett
Staatsballett Berlin

Armênia*
National Ballet of Armenia

Áustria
Wiener Staatsoper

Bélgica
Royal Ballet of Flanders

Bulgária
Sofia Ballet

Croácia
Ballet of the Croatian National Theatre in Zagreb

Dinamarca
The Royal Danish Ballet

Escócia
Scottish Ballet

Eslováquia
SND Ballet

Eslovênia
Ballet of the Slovene National Theatre Maribor

Espanha
Compañía Nacional de Danza

Estônia
Estonian National Ballet

França
Ballet de l’Opéra national de Paris

Grécia
Greek National Opera Ballet

Holanda
The Dutch National Ballet

Hungria
Hungarian National Ballet

Inglaterra
English National Ballet
The Royal Ballet

Irlanda
The National Ballet of Ireland

Itália
Corpo di Ballo del Teatro alla Scala
Corpo di Ballo del Teatro dell’Opera di Roma

Letônia
The Latvian National Ballet

Lituânia
Ballet Company of the Lithuanian National Opera and Ballet Theatre

Moldávia
National Ballet of Moldova

Noruega
Norwegian National Ballet

Polônia
Polish National Ballet

Portugal
Companhia Nacional de Bailado

República Tcheca
Czech National Ballet

Romênia
Bucharest National Opera

Rússia*
Bolshoi Ballet
Mariinsky Ballet

Sérvia
Serbian National Theatre

Suécia
Royal Swedish Ballet

Ucrânia
Theatre of Russian Classical Ballet

ÁFRICA

África do Sul
Joburg Ballet
The South African National Ballet

Egito
Cairo Opera Ballet Company

ÁSIA

China
Hong Kong Ballet
The National Ballet of China

Cingapura
Singapore Dance Theatre

Coreia do Sul
Korean Ballet Theatre
Korean National Ballet

Filipinas
Ballet Philippines

Índia
Imperial Fernando Ballet Co. (IFBC)

Irã
Iranian National Ballet Company
(A companhia foi dissolvida em 1979 e foi recriada na Suécia como Les Ballets Persans.)

Israel
The Israel Ballet

Japão
The Tokyo Ballet

Mongólia
Mongolian State Academic Theatre of Opera and Ballet

Tailândia
Bangkok City Ballet

OCEANIA

Austrália
The Australian Ballet

Nova Zelândia
Royal New Zealand Ballet

* Países que pertencem a mais de um continente.

Leia também
• As minhas considerações sobre a “Volta ao mundo”, aqui.

Pausa para a divulgação pessoal

Não esqueci de nossa volta ao mundo e, em breve, o post será publicado. Mas passei rapidamente para falar sobre o meu novo blog.

O meu interesse pela dança vocês já conhecem. Poucos sabem que também escrevo sobre livros, processos de escrita, além de textos meus. Agora, também escreverei sobre cinema.

Há mais de dois anos, participo de um clube do filme. Depois de analisarmos 21 filmes, sentimos a vontade de compartilhar nossas análises, além de escrever textos pessoais sobre o assunto. Assim surgiu o Cineclube do Cinco.

Quem gosta de cinema, quer ir lá conhecer?

Para visitar o blog, aqui.
Para curtir a nossa página no Facebook, aqui.

Pronto, voltemos a dançar.

Vamos viajar?

Novamente, foi lá no nosso grupo de discussão que surgiram os próximos posts. Eu publiquei sobre o Le Gala des Étoiles e falei para irmos de caravana a Paris. Uma das participantes, a Vivian, brincou dizendo que poderíamos viajar para algum país só para assistir a vários ballets.

Assim surgiu a ideia: Como são algumas das companhias clássicas ao redor do mundo? Nós conhecemos um punhado de companhias europeias, americanas e russas e isso não é “o mundo”.

A intenção era publicar o post entre hoje e amanhã, mas ainda há muito para ver. Sendo assim, hoje vou preparar vocês para a descoberta e compartilharei apenas um vídeo.

Estes são trechos de Coppélia, do Estonian National Ballet, companhia da Estônia. Eu me apaixonei, é uma graça!

Coppélia, Estonian National Ballet, 2010.

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 450 outros seguidores