O sonho de ser bailarina profissional

Nesse tempo que mantenho o blog, muitos dos meus conceitos mudaram em relação a uma série de coisas. A ideia inicial era contar e questionar como é o ballet clássico na vida de quem começou aos 27 anos.

Com o tempo, percebi que a questão do “ser bailarina profissional” ainda é muito forte mesmo para quem começou mais tarde. Não falo em lecionar ou fazer parte de um grupo, mas de dançar em grandes companhias. Na minha cabeça, isso nunca foi algo plausível para quem começou depois da adolescência.

Eu penso o seguinte: uma coisa é uma coisa, outra coisa é outra coisa.

Já comentei isso com algumas pessoas. Aos 30 anos, posso começar a nadar e ninguém me dirá que quero ganhar medalha olímpica. Posso aprender a tocar violino, mas não me perguntarão quando será minha audição para a Orquestra Sinfônica de São Paulo. Por que então eu tenho de questionar a profissionalização ao fazer ballet clássico?

Engraçado que, nas demais danças isso não existe. Estudei algumas, fiz aulas experimentais de outras tantas e isso não entra em pauta. Posso dançar por gosto e vontade, voltar para casa e continuar na minha profissão.

Porém, eu não me importava com isso porque era uma postura apenas das professoras. Se elas só pensam em ballet profissional, o problema não é meu. Cada vez mais há professoras que pensam diferente, e isso é ótimo. Agora… Bailarinas pensarem assim?

O que eu vou falar é complicado, mas é verdade. Porque é preciso sim ser realista.

Voltemos à natação. Posso nadar? Posso. A vida inteira, se eu quiser. Mas eu posso almejar ser a nova César Cielo? Não. Nem o meu corpo, nem a minha vida, nem a minha dedicação, nem a minha idade permitem isso.

Ou seja, para uma bailarina ser a grande estrela de uma grande companhia internacional, não basta amar o ballet clássico. É preciso SIM ter físico, vocação e talento para tal.

Comecemos pelo físico. Não estou falando de magreza, mas de um tipo específico para dançar ballet. Há determinadas habilidades que nem estudando todo dia algumas pessoas são capazes de conseguir.

Eu nasci com um en dehors de quase 180º. Mas o meu cambré é pífio, menor do que de qualquer pessoa normal. E o meu arabesque? A minha perna não sobe quase nada, é de chorar de tristeza.

Sinto muito, mas ambos não vão mudar.

Aí você diz: Cássia, eu nasci com o corpo pronto para ser bailarina clássica. Ótimo. E a sua vocação? Você tem disposição para dançar todo dia, o dia todo? Aulas, ensaios e afins? Subir ao palco sentindo dor? Ter uma grande lesão que a afaste da dança por mais de um ano? Ter consequências físicas que a acompanharão para o resto da vida?

Todo mundo acha lindo a primeira-bailarina no palco. Mas mesmo quem faz aulas de ballet clássico parece não compreender o que aquela bailarina passou para estar ali. Alguém acha mesmo que começando aos 30 anos e fazendo aula duas vezes na semana, será a nova Tamara Rojo?

Além de físico e vocação, você tem talento? Sim, é preciso talento. Você dança bem? Já vi bailarinas com muitos anos de ballet, que sabem a técnica de cor e não dançam nada. Falta o brilho no palco. Quantas têm coragem de encarar isso?

É triste pensar assim? Não. Quantas aqui já pensaram por que realmente fazem ballet? O que você vive hoje condiz com a sua realidade? Com o seu desejo? Com o seu verdadeiro querer?

Das três coisas – físico, vocação e talento –, só tenho a segunda. Sou absurdamente dedicada. Eu tenho barra em casa. Estudo muito. Pesquiso bastante. Porém, não sou a melhor, nunca serei. Jamais seria primeira-bailarina. Professora alguma me daria o papel de protagonista. Sinceramente, viveria feliz só dançando as variações das solistas. Eu desmereço o restante? Não. Mas me conheço o suficiente para saber que trabalho melhor sozinha. Porque nada incomoda mais um dedicado do que os “nem-aí” que encontramos pelo caminho.

Não estou querendo destruir o sonho de ninguém. Mas a gente precisa fazer o sonho e a realidade darem as mãos. Sem saber o que você quer quando coloca as sapatilhas nos pés, não vai chegar a lugar algum.

O que eu quero? Dançar ballet a vida inteira. Ter a dança como arte na minha vida. Subir ao palco com as coreografias que eu escolhi para mim. E sem ninguém me incomodando por conta disso.

*
Quem quiser ler posts semelhantes:

About these ads

91 opiniões sobre “O sonho de ser bailarina profissional

  1. Olá,meu nome é miya,sou paulista e tenho 17 anos. Eu tava procurando algumas informações sobre a carreira de dançarina,realmente a poucos locais para exercer o aprendizado em dança (faculdade etc), realmente sou apaixonada pela dança,porem o estilo de musica que ouço e as danças dessas musicas são famosas apenas na asia,as musicas são chamadas de kpop. As coreografias realmente são de tirar o folego,estou na idade de procurar oque eu quero fazer para o resto da minha vida,se fosse para escolher,claramente seria a dança.Porém tem toda aquela insegurança : ” Dança sustenta ? vou conseguir ter uma boa vida ?”,pois infelizmente não posso me sustenta do meu sonho,porque não é levado a serio,varias pessoas falam :” Ah,dança ?não da futuro algum,como vai se sustentar ?Dançando em lugarezinho por ai ?”. Acho que isso é oque me da insegurança,sempre sonhei em dança nas grandes agencia da coreia, sendo elas as SM,YG e até mesmo a JYP. Porém com esse seu texto,realmente me deu coragem de falar com minha mãe sobre isso,pois ela sempre quis que eu fosse advogada por causa da familia e essas coisas,até mesmo acho que sera mesmo missão impossivel eu ficar tão boa na dança,pois o maximo que eu faço é ver mv’s dos grupos kpop e dança-las a frente o espelho,ainda tenho duvida se conseguirei ser uma boa dançarina. Mas muita obrigada por ter escrito tão bem este texto,realmente me deu a coragem que eu precisava.
    beijos de uma futura dançarina da coreia.

  2. bem..tenho 20 anos e sou louca por dança,sei que uma das coisas para o qual eu nasci foi para dançar,mas..nunca fiz ballet,e agora eu me encantei pela dança..e quero muito aprender,tenho algumas amigas que dançam..e perguntei a elas se eu teria algum problema em começar agora…elas disseram que não,mas o meu maior medo..ñ é a minha idade..pois eu ja vi aq que tem muita gente q começou tarde..o meu maior medo é o meu pé que ja foi quebrado…tenho medo de me dedicar pra caramba e no final ñ poder usar uma ponta…por favor me ajuda…será que eu posso ser uma grande bailarina com o pé mesmo sendo quebrado?!

  3. Meu nome é sarah tenho 14 anos sonhor ser bailarina desde pequena mas minha mae nunca pensou em mim colocar., eu fico muito triste com isso.Mas em meus 14 anos será q ainda posso fazer bailet…… Eu sei fazer algumas coisas de bailet mas sei q nunca vou entrar pro q eu sonho!!!!! quero q mim de uma dica para convenser minha mae em mim colocar em esse sonho q eu tanto qro, eu adoro dança, mas será q vc poderia mim ajuda mesmo q seje com uma dica so eu aceito!!!!!!
    BJS……..

    • SARAH SOUZA,diga para ela oque vc sent pela dança,quem sabe assim ela deixa.:-),de tanto dizer a meus pais que amava o ballet eles me colocaram,e olhe so eu agora,ja a 8 anos no ballet e pretendendo nunca parar.

      bjs.espero ter ajudado.

  4. Faço Ballet e Dança Contemporãnea desde o ano passado. Tenho 20 anos mas danço desde os 14. Tenho uma grande flexibilidade e adoro fazer aulas. Fui convidada para fazer parte da Cia de Dança do Sesc da cidade onde moro. Cia esta que dança Ballet contemporãneo. Gostaria muito de aceitar o convite mas sei que não posso. Apesar de ter físico e talento, sei que não tenho vocação. Me formo em Direito ano que vem e estou fazendo muitos sacrifícios para ir às aulas de dança. Imagine ter de ensaiar todos os dias por horas, estudar sobre dança, viajar… É praticamente impossível para mim. Espero estar fazendo a escolha correta em recusar.

  5. Adorei essa matéria! Principalmente a parte q mostra a consciência que todos deveriam ter, que ballet, não é apenas glamour….existe muita ralação, e tem q se abdicar de muitas coisas… para seguir em frente e se tornar uma bailarina profissional!
    “Você tem disposição para dançar todo dia, o dia todo? Aulas, ensaios e afins? Subir ao palco sentindo dor? Ter uma grande lesão que a afaste da dança por mais de um ano? Ter consequências físicas que a acompanharão para o resto da vida?”

    Achei incrível sua consciência e essa matéria!
    Parabéns! Um beijão :)

    • Luiza, acho muito importante reconhecermos que, por trás da beleza da dança existe um profissional que trabalha demais para que tudo aquilo aconteça. E fiquei muito feliz que você gostou do texto. =]

      Grande beijo.

  6. Adorei este blog! Muito explicativo e esclarecedor, parabéns!
    Cássia escrevo para desencargo de consciência: minha filha tem 10 anos, fará 11 em junho. Ela pratica o ballet desde os 4 anos e desde os 8 partcipa de competições e graças a Deus e seu talento, sempre premiada em primeiro lugar. Ela tem tudo: vocação, talento e o físico perfeitos, a dona da academia até está ministrando aulas extras para ela e com muito custo estamos conseguindo pagar para ela, o problema é que de uma hora para outra ela não quer mais seguir com isso, segundo ela prefere só se dedicar aos estudos e abrir mão do ballet, ela diz que gosta de dançar mas que está cansada. Peço humildemente sua ajuda: o que faço? Sei que ela terá um futuro brilhante se quiser seguir com isso (todos os eventos que ela participa dizem para ela nunca desistir de seguir a carreira de bailarina porque ela já nasceu “pronta” , o físico é cobiçado até por bailarinos adultos que vive brincando com ela e que o pé dela é “o pé”) mas não sei se realmente é isso que ela quer, se ela está cansada e quer mesmo outra coisa, não sei o que fazer…se puderes me auxiliar fico muito grata. Beijos!

    • Olá, mãe de bailarina, tudo bem? Eu ainda não sou mãe, tampouco sou uma profissional da área, mas o que é possível perceber pelo seu e-mail é: vocês conseguem perceber o tamanho da pressão em uma menina de apenas 10 anos? Você a enche de elogios, a dona da academia também, em todas as competições dizem que ela será brilhante… Nada na vida é garantido. Ela pode ser incrível, ter um físico espetacular, dançar divinamente e ainda assim não ser uma bailarina profissional. Mesmo assim, todos a tratam como se ela já fosse uma. Ela gosta de dançar, mas está cansada. Talvez, não seja cansaço da dança, mas de toda essa pressão e expectativa das quais ela é muito nova para suportar. A grande questão é: o que ELA quer? A decisão é dela. Converse com ela, deixe espaço para ela expor as suas dúvidas, as suas questões, o que deseja. Porque enquanto todo mundo se desmancha ao vê-la dançar, é ela quem está passando por isso. No fim das contas, deve prevalecer a vontade da sua filha.

      Grande beijo.

  7. Oi, tenho 13 anos e AMO ballet. Minha inspiração são bailarinas como mayara magri, natalia osipova e polina seminova. Comecei a fazer ballet aos 3 anos mas só comecei a levar a sério a uns 4 anos atrás… As pessoas dizem que eu tenho talento e já participei de competições, mas sempre fico me cobrando físico. Peso 47 e queria ter físico de bailarina, tem algo que eu possa fazer que seja saudável para a minha idade? Será que eu consigo seguir uma carreira profissional aos 17?

  8. Talvez esta sua opinião a respeito de profissionalização de dança seja uma coisa EXTREMAMENTE SUA. Assim como quem faz uma faculdade de direito pode virar juíz, advogado ou simplesmente fazer um concurso público, aquele que se forma em ballet pode fazer “N” coisas também. Pode lecionar dança, pode entrar pra uma companhia, pode trabalhar em produções, pode virar coreógrafo, ou pode morrer dançando e virar primeira bailarina. Eu sou professora, e me considero SIM profissional de dança! Tenho que ter muito mais didática do que qualquer um, até mesmo que as primeiras bailarinas….Tenho que sempre me reciclar, tenho que encorajar, corrigir e descobrir talentos. Se isso não é ser profissional, sinto muito,mas não sei o que é!

    Reveja seus conceitos! sua posição é bem arrogante, e um tanto quanto derrotada. E seu blog é lindo! Mas este post não.

  9. Olá Cassia, achei o seu texto na internet procurando sobre a formação de bailarinas adultas, tenho 24 anos e comecei a dançar aos 20, sempre fiz ballet clássico, jazz e contemporâneo. Sempre fui apaixonada por Ballet clássico e acho que é o estilo base de todos os outros, quem domina a técnica do clássico tem muito mais facilidade para os outros estilos. Mas enfim, concordo com o disse, e quando escolhi me dedicar a dança sabia que nunca ia ser a prima balerina do teatro municipal, e nem ia ser contratada pelas maiores companias do país, mas o que realmente importa pra quem AMA essa arte? Ou mesmo qualquer tipo de arte? Eu nunca desisti e nem vou, em me formar em Ballet clássico, porque não quero ser famosa, e nem ser a prima bailarina de nada, quero apenas contribuir para essa arte que amo tanto, me dedicando, estudando, lendo livros, pesquisando tudo quanto posso. Faço faculdade de Ed. Física, por causa de tantos preconceitos que ainda existem pra quem quer fazer dança em uma faculdade. Mas sei que isso contribuirá muito pra minha carreira. Quero poder ensinar, dar aulas, e isso preciso de uma formação.
    Sobre as 3 coisas que disse serem necessárias, vocação, físico e talento eu acredito que elas giram em torno da dedicação. O físico a gente pode alcançar se dedicando, a vocação idem, o talento acredito que o amor nos faz talentoso, a dança é muito mais do que subir no palco e fazer a coreografia, é subir no palco e se divertir, ser você e dançar como você sabe, somos seres muito singulares, nunca podemos exigir o mesmo de 2 pessoas diferentes. A didatica da dança tem que mudar muito ainda, em relação a isso. O ballet clássico é ainda muito arquaico, é lindo sim, mas arquaico. Os bailarinos tedem a subir no palco e fazer somente: técnica, técnica, técnica, técnica, técnica, técnica, técnica…! Entende?
    Bom não vou me prolongar, resumindo, todos somos capazes de fazer tudo aquilo que queremos, e que está em nosso alcance, sim é claro que de mãos dadas a realidade mas sabendo transformar a realidade sempre pra melhor para que outras gerações sintam que a transformação do que já existe é evolução!

  10. Ola! Tenho 16 anos sempre gostei de dança! Quando pequena ganhei uma bolsa em uma escola de bale em brasilia! + devido a distancia e a minha escola nao pude realizar meu sonho, agora moro em goiania e tenho condiçoes de fazer aula de ballet classico! Gostaria de saber se na minha idade ainda posso fazer? Gostaria Q me ajudasse com minhas duvidas. Se possivel responda no meu e-mail. Obg! E parabens pelo site.

  11. OI TUDO BEM

    PARABENS PELO SEU ESFORÇO E SUPERAÇÃO, POIS NAO É FACIL NAO JA PASSEI POR ALGO PARECIDO MAIS AINDA VOU ENFRENTAR MUITO MAIS .QUANTAS VEZES COLOQUEI MINHA SAPATILHA DE PONTA CHOREI AO SUBIR NELA POIS NAO TINHA MUITO EQUILIBRIO TODAS MINHAS AMIGAS CONSEGUIAM MINHA PROFESSORA E MINHA MAE MIM AJUDARAM MAIS AO PASSAR DO TEMPO TIVE QUE FAZER UM ESPETACULO ESTAVA ENSAIANDO QUANDO A PROFESSORA PEDIO PARA MIM DAR PASSADAS COM A SAPATILHA NAO CONSEGUIR ELA OLHOU PRA MIM E FALOU SE VC NAO CONSEGUIR VC VAI DESCER DA SAPATILHA E CONTINUAR NA MEIA PONTA EU SEMPRE CONFIANTE NO QUE FAÇO E DEDICADA TREINEI ORAS NOITES DIAS ATE QUE ENTAO NO DIA DO ESPETACULO A MENINA QUE IA FAZER AS PASSADAS DO BALLET NO MEU LUGAR FALTOU ENTAO SO RESTAVA A MIM SUBIR NO PALCO COM MEDO MAIS CONFIANTE QUE IA FAZER BONITO DEI O MEU MELHOR E ATE HOJE MINHA PROFESSORA FALA PARABENS POR VC LUTAR E SABER QUE É CAPAZ DE FAZER AS COISAS IMPOSIVEIS HOJE TENHO 18 ANOS E DESDE MEUS 10 ANOS DE IDADE DANÇO BALLET E QUERO SER UMA PROFISSIONAL

    GRATA FERNANDA SOUZA!

    ESSE FOI UM POUCO DO QUE PASSEI PARA CONSEGUIR SER UMA OTIMA BAILARINA E A CADA DIA QUE PASSA DESCUBRO ALGO NOVO EM MIM.

    BJSSSS NUNCA DESISTA DO SEU SONHO POIS UM DIA VC ALCANÇARÁ….

  12. olá… adorei o teu texto.. há 3 anos que ando no ballet contemporâneo. A minha professora diz-me para eu desistir para não sonhar alto de mais. No ano passado comprei umas pontas e levei para a aula para a professora me dizer o que achava, e ela disse para eu desistir, o que é certo é que passado 6 meses de começar na ponta, fiz uma coreografia em ponta para a minha escola. sinto-me frustrada em casa aula que termina, e não sou reconhecida pelo meu esforço e trabalho. sinto-me triste quando me deito na cama e vejo os meus joelhos cheios de feridas e os pés a doerem imenso.. Gostava de dançar a vida toda, e quando digo isto é mesmo a serio, a vida toda… ser feliz a dançar… o palco é o meu mundo… só preciso que alguém me de uma oportunidade para eu poder aprender e surpreender e não estarem-me sempre a cortar as pernas. =(

  13. Penso exatamente como você ! Tenho 34 anos iniciei no baby class, depois me encaminhei ao jazz aos 6 anos e dos 18 aos 31 me dediquei à dança do ventre, mas sempre sem o intuíto de me profissionalizar e agora com 34 anos estou realizando o meu atual sonho de dancar ballet tendo começado aos 32 ! Sempre dancei e quero continuar dançando até quando minha condição física permitir, por prazer, para satisfazer o meu ego ! Até porque sei que nunca é tarde para se fazer o que se gosta, porém quando pensamos em profissionalização existe sim um prazo de validade. E viva o Ballet clássico que é a mãe de todas as danças !

  14. eu achei esse texto muito interessante,eu tenho apenas 11 anos de idade e me chamo leandra eu já fiz dois anos e meio de ballet e sempre sonhei em ser uma grande bailarina quando eu coloco as sapatilhas nos meus pés os meus olhos brilham me dá um frio na barriga!
    a minha professora falou que eu tenho muita vocação talento e vontade de fazer!eu a uns tempos atrás tinha que acordar cinco e meia para fazer o ballet porque eu morava muito longe más eu tive força de vontade.
    Muitos me botaram para baixo más eu não desistir e nem penso nisso!!!
    Agora de uns tempos pra cá eu fui fazer aula em outro lugar mas não deu certo e eu saí,agora eu to tentando voltar pra minha antiga professora mas o meu pai nçao quer deixar mas se eu não conseguir eu não vou desistir quando eu estiver maior eu sigo a minha carreira.
    Beijos de leandra!

  15. Oiee .. lendo se blog vi que ainda tenho chances de ser uma bailarina. Meu sonho sempre foi ser uma bailarina Clássica, comecei a fazer ballet contemporaneo em 2011 . Mas não é classico e se eu permanecer nessa companhia verei meu sonho de usar Ponta passar pelo meus olhos. Mas só poderei entrar na companhia de clássico com 16 anos, então terei de continuar nessa companhia mesmo , mas meu maior medo é de chegar tarde demais e nunca poder dançar de ponta. Hoje em dia estou com 14 anos, farei 15 daqui poucos meses, tenho medo de não progredir e chegar tarde demais, mas lendo seu post vi que é possível, o que falta em mim é confiança em si mesma, mas a partir do momento em que li seus textos fiquei mas animada e pretendo seguir rumo com esse digamos sonho. !obrigada pelas dicas. Beijoos ;D

  16. Cássia , queria muito a sua ajuda.
    Quero fazer ballet , tenho 14 anos ,muita elasticidade e sou dedicada , mas tenho medo de uma coisa que comentam comigo: Os ombros se alargarem por causa do ballet , ainda dizem que diminui os seios(coisa que eu já não tenho muito!) . É verdade? preciso muito da sua ajuda!

    • Lorena, desculpe a demora em responder. Vamos às suas dúvidas: 1) Não, os ombros não se alargam por causa do ballet. Talvez te disseram isso por conta da nossa postura, que fica alongada e longilínea. Você só deixará de ser corcunda e os ombros ficarão no lugar. 2) Se os seios diminuíssem por conta do ballet eu não teria mais nada, porque eu uso sutiã 40. Ou seja, não acredite nessas bobagens e dance tranquilamente.

      Beijos.

  17. Engraçado, lembrei do caso de uma freira atleta que começou a correr aos setenta ano e virou recordista. E essa nem era a intensão dela. A vida é feito de pequenos ‘milagres’. Boas coisas acontecem… sendo bailaria profissional ou não, quando fazemos com amor tememos mais chances de receber boa coisas!

    Beijocas meninas ;D

  18. Olá Cassia eu tenho exatamente 27 anos, fiz ballet com 11 anos e parei quando ia entrar na ponta, depois de anos quero voltar, eu faço pole dance, tenho flexibilidade boa,adoro dançar,ter aquela coisa sensual da dança, mas eu quero a base do ballet,será que ainda consigo isso? bjos!

  19. Olá Cássia tenho 15 anos, fiz ballet quanto eu tinha seis anos, parei com sete e meio, voltei com dez e parrei, ou seja, tenho flexibilidade perfeita estatura fisica perfeita, so não sei quanto a minha idade, meu sonho é ser bailarina clássica, mais vivem me derrubando pela idade, me ajuda Cássia?
    Bjokasestaladas ;*

  20. Oi Cássia ja me enscrevi no ballet e ja tive duas aulas.
    Obrigado pelos teus conselhos.
    Tens alguma dica para as dores musculares.
    Obrigado beijo do coração!!!!

    • Uma dica para dores musculares é gelo, muito gelo. Encher banheira com gelo e ficar lá por uns 5min , mas cuidado com a temperatura, não deixe ela ficar muito baixa, pois dessa maneira você ira sofrer um choque térmico. Tem remédios como Dorflex, ele é bom, mas não é bom ficar tomando remédios , pois quebra o efeito do seu treino. O malhe jeito é alongar muito, gelo e agüentar a dor. Afinal, uma hora ela passa! Boa sorte Victória :)

  21. oiii cássia!! gostaria que voce me esclaresse uma duvida….
    Eu tenho 16 anos faço Ballet ha 1 ano e meio e vou entrar nas pontas no ano que vem, desde de criança sonhava com os palcos e queria ser bailarina,mas eu era muito nova e nao poderia ir sozinha para o studio de ballet, enfim fui começar na adolescencia.
    Quando paro pra pensar me parece uma realidade muito longe ser bailarina profissional com a minha idade, e quando voce ouve muito isso das pessoas acaba acreditando mas eu gostaria de saber se ainda posso tentar entrar para uma companhia de ballet, eu estou ciente de como o mundo do ballet é competitivo com garotas q ja fazem ballet ha muuitos anos, gostaria de saber se eu ainda tenho idade para isso…rsrsrs
    aguardando resposta
    beeeeeijos!

    • Gabriela, você ainda tem idade para isso. Mas além disso, você precisa ter técnica, físico… Qualquer hora farei um post sobre o assunto.

      Grande beijo.

  22. Olá Cassia, meu nome é Tamiris, tenho 16anos, já faz algum tempo que decidi perguntar, não o fiz antes pois tenho medo da resposta. Treino ballet 4h e meia todos os dias e comecei as aulas a uma semana e só o que sei até agora é que sou extremamente flexível por consequência de outros tipos de dança que fiz. Apesar de sempre ter tido uma paixão eloquente pelo ballet e o sonho de estudar no Bolshoi Brasil somente agora tive condições financeiras de começar a estuda – lo, minha professora disse que tenho chances, mas sei que ela não é uma pessoa realista. Não sou uma pessoa lúdica e tenho a consciência de ser uma bailarina tardia e quando eu leio notícias do tipo: Numa audição do Bolshoi Brasil, das 300candidatas 20 foram aprovadas, penso em desistir, e não tenho vergonha de dizer isso pois prefiro morrer infeliz do que morrer tentando. Não quero fazer ballet pra me realizar emocionalmente ou para ser professora, eu quero sim ser profissional, ser uma Tamara Rojo.
    Lendo seu artigo, percebi o quanto é realista e sabe o que diz, por isso eu ficarei extremamente agradecida se me dizer quais são as chances reais deu alcançar meu objetivo que é estudar no Bolshoi e ser a futura Tamara Rojo. Parabéns pelos artigos, são incríveis!!!

    • Tamiris, vamos do começo. Primeiro, você está fazendo aulas há uma semana. Calma. Você tem um longo caminho no ballet clássico, que não é arte para ser aprendida do dia para a noite. Mas o bacana é que você já fez outras danças antes, e isso te ajudará bastante. Além disso, você tem 16 anos. Quando você fará 17? É a idade máxima permitida para a audição do Bolshoi e, nesse caso, é necessário estar nas pontas. Se o sonho é ser a futura Tamara Rojo, você tem de pensar aos poucos. Primeiro, passar no Bolshoi. Depois, lá dentro, estudar arduamente para ser uma grande bailarina. As chances reais disso acontecer: é muito difícil, mas não é impossível. A realidade é dura no ballet clássico. Mas em vez de desistir de antemão, estude primeiro e preste a audição. Se não passar, aí repense o assunto. Agora, se você já pensa em desistir com apenas uma semana de ballet clássico, pense se esse é realmente um caminho para você.

      Grande beijo.

  23. Cássia, adorei seu blog e a maneira sincera como vc escreve. Fiz ballet por pouco tempo quando criança, mas acabei por me tornar profissional da Dança Árabe. Estou com 30 anos agora e com vontade de fazer ballet, apenas para minha satisfação logicamente.
    Sei que jamais serei uma profissional, mas, como é triste ouvir tantas críticas não é mesmo?

  24. Nossa, muito interessante seu post….
    Eu tenho 15 anos e comecei a praticar ballet esse ano… Eu tenho tanto talento, quanto sou dedicada, físico perfeito, boa elasticidade, etc etc. Faço coisas que as pessoas da minha turma nem sonham em conseguir, e por vezes já me peguei pensando em fazer do ballet minha profissão, mas creio que a idade não permite mais :/
    Estou errada?
    enfim, é isso
    beijos

  25. ola.. eu tenho 13 anos, e quero muito ser bailarina, eu adoro mesmo… mas eu sou pobre e não tenho como pagar as aulas! fico muito triste porque esse é o meu sonho… espero num dia conseguir vir a ser bailarina, mas não sei se com a minha idade vou poder ser uma bailarina profissional! eu tenho 13 anos, posso vir a ser uma bailarina profissional? eu vou conseguir realizar o meu sonho!

  26. Oi Cássia muito obrigado, fiquei muito contente e animada com o seu comentario.
    E sim, gostava de me profissionalizar no Bolshoi,mas creio que seja impossivel porque moro em Portugal.
    Mas talvez consiga algum dia de algum modo ingressar no bolshoi ate porke tenho parentes no Brasil.
    Muito obrigado
    Beijo do coração

  27. Cássia, não me leve a mal, mas o seu texto não parece de uma pessoa realista, mas sim de uma pessoa que deixou seu sonho morrer. Eu não acredito que uma pessoa como voce, com o seu porte, e a sua dedicação, não pode se tornar uma Tamara Rojo. Eu quero te apresentar uma pessoa: Ele pode todas as coisas, te ama, quer o melhor pra sua vida, e mais… Ele diz em sua palavra que VOCê TUDO PODE. Filipenses 4;13. Olha Cássia, não conheço sua vida nem seus pensamentos, mas eu creio em um Deus. E através Dele, eu consigui alcançar milagres. Não falo isso pra te contrariar, mas pra te mostrar que a nossa dura e áspera realidade pode ser covertida em um vida de Abundancia ( João 10:10 O ladrão não vem senão para roubar, matar e destruir; eu vim para que tenham vida e a tenham em abundância.) O ladrão é Satanas, que veio para distruir sonhos, roubar a felicidade de nossas vidas…Mas Jesus, veio pra dar vida em abundancia. Em todos os sentidos. Voce é maravilhosa, e tem um talento extraordinário, não me diga que não consegue, pode não conseguir sozinha, mas com esse amigo que te apresentei voce pode todas as coisas.

  28. Oi Cássia, tenho 11 anos prestes a fazer 12, aos 3 anos ja dizia que queria ser bailarina, mas infelizmente passei longos anos apenas com o sonho.Mas agora vi a possibilidade de entrar numa escola, minha mãe ainda nao me deu a resposta porque no momento tenho também outra actividade que nao quero deixar(o violino), e devido ao custo elevado da formação clássica ainda não tenho resposta.Quase todos os meus colegas e amigos gozam com a minha ambição de me profissionalizar. no ballet.Tenho muito apoio dos meus pais e do meu avô,(da minha avó também, mas ela diz que é tarde para começar).
    Adoro o ballet tenho uma paixão infinita por ele, mas queria saber se é tarde para começar?
    Já li muitos sites que dizem que posso começar ate aos 13 anos e ja li muitos que dizem que é preciso começar aos 5.
    oUTRA PERGUNTA QUE QUERIA COLOCAR É O SEGUINTE:
    é sobre o fisico de uma balilarina, pois eu tenho 1,56 e 60 kilos, e queria saber se precisava de perder peso para entrar no ballet?
    A minha medica disse que eu nao podia passar dos 60 kilos (e não passei), mas questionome se tenho de ser mais leve por causa do equilibrio.
    desde ja obrigado

    • Victória, você tem 11 anos! Ainda é uma menina… Pode muito bem começar a fazer ballet agora e se profissionalizar sim. Tanto é que, na sua idade, você ainda pode prestar os exames de várias escolas de formação, como a Escola de Bailado do Teatro Municipal de São Paulo e a Escola do Teatro Bolshoi no Brasil, em Joinville. Sobre o seu peso, você não precisa emagrecer para entrar no ballet, mas ele próprio te ajudará a emagrecer. A leveza tem mais a ver com giros e saltos do que com o equilíbrio, mas não se preocupe por antecipação: quando puder, comece as suas aulas de ballet. ;)

      Grande beijo.

  29. Oie…e a primeira vez que entro no blog, e quero parabenizar, ameii tudo o que li. Tenho 20 anos e faço ballet a 1 ano, danço desde os 9 mas só agora tive a oportunidade de aperfeiçoar com a técnica mesmo do ballet. Minha maior preocupação no ballet é o meu en dehors, não tenho muitoo, e isso me mataa de tristeza, sofro muitoo por causa disso.Tento dar meu máximo mas sempre estão me dizendo ao en dehors, quero ver seu calcanhar rsrs.Tenho muito em minha cabeça sobre ser bailarina profissional, e lendo o seu post puder entender essa questão.No final fico feliz pois vejo que tenho também minha facilidades como o exemplo que deu,(Eu nasci com um en dehors de quase 180º. Mas o meu cambré é pífio, menor do que de qualquer pessoa normal. E o meu arabesque? A minha perna não sobe quase nada, é de chorar de tristeza.)

    Abraço

    Tamiris Roberta

  30. Olá Cassia,
    Meu nome é Mariana e tenho 16 anos, sou mt apaixonada pela dança, qndo menor eu fazia teatro e meu prof vivia dizendo q tenho talento para carreira artistica, treino TODOS OS DIAS variados exercicios durante algumas horas mas ñ sei aonde eu poderia crescer, aonde atuar, o mercado trab, entende? esse é meu medo, ñ sei por onde começar.

    • Mariana, sabe por onde você tem de começar? Estudando seriamente em um estúdio de dança. Treinar em casa não te levará a lugar algum, por mais que alguém te diga que você é talentosa. Aliás, tanto no teatro quando na dança é preciso muito ESTUDO! Lembre-se sempre disso. Só então você terá meios para se profissionalizar de verdade.

      Grande beijo.

  31. físico, vocação e talento. Assim… Físico, eu não tenho, mas posso ter. Consigo fazer cambrés, arabesques, attitudes… Se eu emagrecer, vou ficar mais leve, vai facilitar muito mais o que eu já consigo. Vocação, sim, eu sou dedicada e AMARIA passar o dia todo dando duro. Por mim, eu faria isso AGORA! Talento? Eu não gosto de me ver dançando. Eu sei que consigo, mas no momento, quero mais. Sou perfeccionista, enquanto não tiver satisfeita, não vou dizer se tenho talento ou não. No meu último ano na minha 1ª academia, fiquei como uma das solistas. E é só isso o que eu quero. Nada de ser a Prima Ballerina. Só solista está ÓTIMO. Mesmo querendo ser profissional. :)

  32. Olá! Meu nome é Edson Santos e sou professor e coreógrafo de dança com especialização em jazz. Essa foi a melhor reflexão sobre essa questão: o sonho da profissionalização.
    Eu tinha quase dezenove anos quando iniciei meus estudos em dança e, em pouco tempo, descobri sozinho que não tinha físico e nem brilho suficiente para dançar com algum destaque.
    Por ser homem e ter escolhido o jazz, talvez, quem sabe, eu tenha recebido mais apoio e estimulo do que outros para pensar em buscar o profissionalismo, mesmo, tendo começado tão tarde.
    Cheguei a dançar profissionalmente e fui muito feliz. Nunca tive ninguém me esperando na porta de um teatro a fim de pedir autógrafo ou coisas do tipo, mas estava feliz com o que me foi reservado.
    Meu amor pela dança fez de mim um profissional capaz de fazer outras pessoas felizes, outras não tão felizes, mas sempre fazendo dança.
    O tempo passou e hoje, percebo que minhas antigas alunas do infantil estão trazendo suas próprias filhas para que aprendam os primeiros passos da dança. Isso pra mim tem um significado enorme. Sinto que faço parte de um grupo que realiza coisas proveitosas e que pode pensar exatamente como você pensa.
    Fui bailarino e assistente de coreografia de Roseli Rodrigues pela Raça Cia de Dança de SP por 13 anos, também fui professor e coordenador de dança da escola sede da Cia por outros tantos anos.
    Atualmente, ministro cursos e workshops por vários cidades brasileiras, participo de grupos de analise de projetos culturais pra várias fundações e mantenho minha própria cia: a Cia Independente de Dança de SP.

  33. Olá Cassia.
    Tenho 15 anos conheci o ballet um pouco tarde aos 9 anos, e desde então abri meus horizontes a dança, não só o ballet. Infelizmente parei de daçar aos 11, quando entrei no ginasio, e infelizmente só retornei aos 14, ganhei peso,sofri e sofro bastante. Mas tenho muita vontade de dançar em uma cia e me tornar uma bailarina profissional mesmo começando tarde, e acredito que o fisico talento e vocação estão presente, mas não conseguimos nada sem a determinação. Concordo com você, que ser bailarina é bonito para quem de fora ve, mas não tem ciencia da dor que passamos.
    Mas como meu professor sempre diz: Você quer ser bailarina, eu te mostro o que é necessario, mas você só consiguirá ser bailarina se você souber o que te espera, e não desisti, mesmo nas horas de ilusão decepção e dor!

  34. Sabe,nunca me passou pela cabeça fazer parte de uma grande companhia. Eu apenas amo a dança e tudo que ela me faz sentir. E só. Não me importaria de fazer aulas por 20 anos e ninguém me ver dançar. Dançaria apenas para mim,na frente do espelho,trancada no quarto.

  35. nao qro ficar triste por causar do ballet mas tenho medo de mais la na frente me arrepender de nao ter feito. isso ja aconteceu muito comigo eu vou tentar se eu nao conseguir, nao consegui, tento outras coisas.

  36. Oi Cássia !

    Tenho 13 anos e des dii pikinininha meu sonho era ser bailarina profissional
    ja entrei na escola de ballet mais como não era ESCOLA uma super escola e era muito longe da minha casa tive que para eu..
    Queria muito um dia poder ser a primeira bailarina mesmo nao sabendo quase nada de ballet eu sonho muito com isso ..
    pra voce te uma idéia eu ja tenho uma sapatilha de bico sendo que neim seei dança nada mais quando eu coloco e fico me alongando ai me dá uma emoção tã grande eu fico me imaginando em cima de um palco com aquela linda plateia !! aii que sonho !!
    Tambem não posso ser bailarina porque minha mãe não tem condição de pagar uma escola grande como o teatro guaira ou o quebra nosses moro em ctba !! mais tenhoo fé que um dia ainda vou ser uma bailarina
    aaaah ee ameei seu texto toco muito no meu coração !

    Beijoos !

  37. Comecei no ballet ao 14 anos de idade, hoje, com 15 ,ainda estou no segundo ano, me formarei aos 18 ou 19 anos. Você acha que é possível ser bailarina profissional com essas condições?? Meu desejo não é lecionar, mas sim, viver da dança e tentar entrar para uma boa companhia.. Mas , 99% das bailarinas se formaram já com 15 ou 16 . Conhece alguma bailarina que tenha começado no ballet um pouco mais tarde e tenha tido sucesso? beijos e GRATA

  38. Faço balé a dois anos e sinceramente nunca fiz outra coisa me deixace mais feliz e mais em paz ao mesmo tempo. Realmente tenho que concordar temos estar na mesma sintonia com a nossa realidade e muito triste saber que não poderei chegar aonde tanto queria só por um milagre para que isso acontece .
    Mais vou seguir exemplo da nossa amiga Suellen eu erei buscar melhor e me esforçar muito se Deus quiser ele vai me ajudar e provar pra mim mesma que sou capaz …

  39. Ola, concordo com vc até um ponto, tenho 28 anos e comecei a fazer jazz e ballet a dois anos…
    Nunca tive flexibilidade nem força para o ballet e o jazz…
    Era terrivel, era a pessoa mais dura da aula, arabesque, espacate, saltos, nem pensar, não saia do chão…
    Minha professora já estava quase falando pra mim desistir,
    Mas coloquei na minha cabeça q ia conseguir, li varios textos como o seu, q meio q desanimavam meu sonho, mas eu persisti, fazia aulas duas vezes na semana, aluguei um espaço onde ia treinar todos os dias, treinava 2 horas, todos os dias, 10 horas semanais, sózinha, colocava pesos nas minhas pernas para alonga-las…foi difícil, nesses dois anos, tive distenção umas 10x mas não desisti…
    Hoje tenho espacate zero, meu arabesque era igual ao seu, hoje está praticamente perfeito, já faço quase tudo na ponta, meus saltos estão maiores, minha professora diz q evolui em dois anos o q meninas q começam cedo, demoram 6 anos…Todos na aula se surpreendem, minha prof até chorou esses dias de tão feliz q ficou com meu desenvolvimento…
    Por isso digo, oq a sua mente desejar, ela pode realizar, eu coloquei na minha cabeça q ia conseguir e fui atráz, me sacrifico todos os dias de treinos, e sei q vou ser sim uma bailarina de nivel profissional, sei q as companhias não irão me aceitar por eu ser velha, mas não tem problema, vou aprender mesmo assim…e serei boa….

  40. Olá, Cássia, Bom primeiramente eu adorei de verdade o seu
    texto ! Eu queria saber assim, eu começei a fazer ballet com
    10 anos de idade, só que por causa de alguns motivos tive que me
    afasta , no começo de 2010, e agora quero muito voltar,
    Mas tenho medo de não consegui fazer mais as coisas que eu fazia antes,
    será que eu ainda consigo fazer espacate ?

  41. Michel, eu comecei a ler e achei que você fosse mulher. Mas sendo homem, a idade pesa muuuuito MENOS. É claro que vc deve tentar, sem sombra de dúvidas!!!!! Eu tenho 24 anos e sou mulher, fiz ballet dos 4 aos 14. Fiquei 10 anos sem fazer ballet e agora quero me profissionalizar. E profissionalizar não de pegar o diploma da escola, pq isso eles vendem. A pessoa não sabe fazer um fouetté mas é formada. Mas se profissionalizar de fazer parte de alguma cia pelo menos (o que eu quero). Tenta sim querido!!!!!!!!!!

  42. Olá tenho 23 anos e daço desde os 9 anos de idade,me profissionalizei e amo esse mundo que é a dança mas quando cheguei as 18 anos tive que abondonar tudo,pois meu pai me forçou a seguir carreira militar e contra minha vontade fui.
    Infelizmente não segui nesse sonho dele e por esse motivo ele frustou os meus inclusive a dança.
    Mas hoje já com uma idade avançada e com a cabeça mas no lugar ainda tenho uma vontade louca de dançar e me profissionalizar.Mas minha idade não me permite agora quero saber de você eu sendo homem posso ir sem medo de ser feliz na dança ou você acha que isso nunca vai acontecer?
    Bjo’uss e muito obrigado

    • Michel, eu procurei taaaaaaanto o seu comentário, eu lembrava dele, mas não conseguia encontrar nem no sistema de busca (que só eu tenho acesso). Até que a Zacki te respondeu e então eu te reencontrei. Vamos lá: como você mesmo disse, agora você é mais velho, tem 23 anos e pode seguir aquilo que quer. Não pense muito no que ficou para trás, nem no fato de ter frustrado os sonhos do seu pai e ele, os seus. Pense daqui em diante. A Zacki tem toda razão, para homem é muito mais fácil se profissionalizar mais tarde. Faço coro com ela, siga o seu sonho, pode ir sem medo de ser feliz na dança. Há um vasto caminho para você, de verdade!

      E, Zacki, para você também, um lindo caminho na dança. E quando vocês dois fizerem parte de uma companhia, me convidam para assistir? ;)

      Beijos.

  43. Cássia, eu já tinha passado pelo seu blog antes, mas nunca tinha parado para ler com muita atenção. Só hoje vi seu perfil e me surpreendi, pois sempre me questiono sobre minha idade e sobre minha dança. Faço dança do ventre há 5 anos (hoje estou com 32) e tenho vontade de me aperfeiçoar e levar isso de uma forma mais profissional, mas infelizmente ainda não consegui me dedicar o tanto que gostaria. Mas tenho isso como meta e sei que vou conseguir. Tenho, digamos, todos os atributos para isso: estrutura corporal, uma excelente professora, pessoas maravilhosas que dançam comigo, etc. Mas claro que às vezes fico paranóica com minha idade (se bem que aparento bem menos).
    Engraçado que eu também queria ser bailarina quando era criança, mas sempre tive certeza que não era clássica. Entretanto, fiz ballet e jazz alguns anos e meu professor queria me levar para o Stagium. Mas na primeira pressionada que levei dele (eu tinha 13 anos), caí fora. Lembro bem que disse a ele que tinha uma vida e que não poderia parar tudo o que eu queria fazer para ficar exclusivamente dançando. Fiquei anos sem dançar até descobrir o tipo de dança que me completava!
    Engraçado que no começo de 2010 eu comecei a procurar escolas de dança para incluir nos meus estudos algo a mais. Quase fui pro ballet, algo do qual fugi anos antes. Mas quando fui visitar a escola pela qual tinha mais interesse, saí correndo… era tudo profissional demais! Todos eram bailarinos demais! Confesso que fiquei até com medo!
    Mas acho que escrevi tudo isso antes (desculpe, mas amo escrever!) para dizer que nunca ninguém me questionou sobre levar a dança de uma forma profissional. Mas infelizmente, acho que isso acontece, não só com a dança, mas com muitas outras coisas que estudamos por prazer. Eu estudei alemão por 4 anos, por exemplo, e todo mundo me perguntava por que eu estava estudando, se meu emprego exigia, se eu ia morar lá, se eu queria ser professora, etc… Ninguém nunca entendia que eu estudava porque gostava! E eu tenho plena consciência de que nunca vou falar alemão do mesmo modo que falo inglês, idioma que aprendi quando era criança! É diferente! Estou mais velha, tenho mais responsabilidades, mais coisas para pensar, não posso estudar tanto quanto antes! O mesmo se aplica para a dança. Mas talvez um dia as pessoas descubram como é bom fazer algo por você, sem compromissos, obrigações e amarras. Acho que essa é a melhor maneira de se aprender algo!
    Parabéns pelo blog! Adorei!
    Cris

    • Cris, esse questionamento sobre a profissionalização nunca aconteceu porque você faz dança do ventre. Eu fiz, por um ano, e também nunca fui questionada. Não só, percebi que poderia me profissionalizar e seguir na carreira se essa fosse a minha intenção. A escola onde eu fazia, inclusive, oferece esse tipo de formação e encaminhamento das alunas, o que acho ótimo. Sobre o ballet clássico, sinto muito, somos mesmo bailarinos demais, hehehe. E isso independe do motivo pelo qual dançamos. Você encontrará posts no blog que relatam isso, de que somos bailarinas, inclusive, fora da aula. Sobre o “fazer alguma coisa só por gostar”, é comum as pessoas indagarem sobre o assunto. “Por que você faz isso?” Porque me faz feliz, oras. Quer motivo melhor? :D

      Grande beijo.

  44. Olá! Adorei o blog! Parabéns Cássia!
    Gosto muito dos seus posts.. porque são coisas que eu já pensei muito, mas tinha muita vergonha de compartilhar..
    Sobre essa questão da idade e ser bailarina profissional.. achei muito legal você expor a realidade.. e os seus pensamentos..
    Tenho 23 anos e comecei o ballet há 1 ano.. partilho mto dos sentimentos da Vanessa.. achei q ela escreveu td q eu sentia.. me identifiquei..
    Mas aqui vao algumas dúvidas minhas..
    Como e onde faço o curso de 8 anos para me formar no ballet? Eu tenho que procurar uma escola específica para isso ou devo conversar com meu professor? E depois tenho de fazer a faculdade né? Ou posso fazer ao mesmo tempo?
    Obrigada!
    Beijos

  45. Cássia, essa é uma questão complicada na minha vida, sei que é ridículo, mas aos 30 anos ainda sonho em ser professora de ballet, pelo menos pra crianças. Ainda penso em me profissionalizar querendo fazer o curso superior de dança (que ainda ñ abriu na federal daqui) porque só depois de ter trabalhado em tantos lugares e nunca ter levado nada a sério. Hoje é que sei e tenho a certeza de que a dança iria me completar profissionalmente. Sei que já é tarde, mas não consigo ter prazer em outra coisa, e penso que poderia fazer o curso superior já que o técnico é só pra quem é formado e tem 14 anos. Poderia tbém prestar concurso na área e ser professora do estado, o valor do salário não me importa e sim a satisfação de estar trabalhando em algo que realmente me dá prazer. Mas qdo penso q as bailarinas formadas com 15 anos já estão prontas pra profissão, penso que vão obviamente preferir a de 15 e eu que tenho o dobro da idade, só me basta lamentar pelo meu passado…snif

    • Patricia, não é nada ridículo você querer ser professora de ballet aos 30 anos de idade. Não é tarde. Você pode fazer a sua faculdade e dar aula sim. Além disso, quem disse que uma menina de 15 anos está pronta para a profissão? O fato dela ser uma bailarina formada não significa que ela está “pronta” para lecionar. Não lamente o passado, ele não volta. ;) Siga os seus estudos e realize o sonho de ser professora.

      Grande beijo.

  46. Minha filha fez ballet clássico dos 6 aos 12, hoje tem 14 anos, e pretendo colocá-la de volta… Porém não em uma escola de dança MUITO renomada , e vocÊ sabe, que a academia faz uma IMENSA diferença, é só comparar!!! Ela só tem 1,55 =( , acha q ela tem chance?? existem bailarinas deste porte?? grata

    • Gabriela, a academia faz uma imensa diferença em que sentido? O fato da academia ser renomada ou dos professores serem melhores? Porque existe uma questão aí. Não se esqueça que em locais renomados a pressão é grande, porque muito desse renome vem das suas bailarinas que vencem festivais. Tudo depende do que você e sua filha pretendem. Sobre a altura, nas grandes companhias as bailarinas têm, em média, de 1,58m a 1,68m. Há grandes bailarinas que são mais altas ou mais baixas que isso, mas depende muito da sua excelência técnica e do seu carisma no palco. Das baixinhas, conheço duas: a brasileira Roberta Marquez, primeira-bailarina do Royal Ballet e linda no alto do seu 1,57m; e a russa Maria Kochetkova, primeira-bailarina do San Francisco Ballet e tão pequenina que não consigo descobrir a sua altura. Deve ser 1,50m, porque ela é muito pequena. E dança muitíssimo bem e suas protagonistas não devem nada às bailarinas mais altas.

      Beijos.

  47. Lindo bom passo quase pelo mesmo processo tenhp 19 anos e pela segunda vez vejo que tenho que abandonar este grande e lindo sonho . Porém observei alguns itens que logo fizeram mudar de idéia como: natação etc , realmente isto é verdade quero também ” Dançar ballet a vida inteira…”

  48. OI,!
    ACHO LINDA A ARTE DA DANÇA!
    EU GOSTARIA DE SABER O QUE SE FAZ PARA SER BAILARINA,SE CURSARAM FACULDADE DE DANÇA,SE SÓ FIZERAM TREINOS, DURANTE A FORMAÇÃO, SE EXISTE ALGUM CURSO ESPECÍFICO PARA SER BAILARINA,SE FAZ BALÉT OU JAZZ, OU TODAS AS DANÇAS.PERGUNTO ISSO PQ DESCOBRI QUE GOSTO MUITO DE DANÇAR E QUERO FAZER ALGO MAIS AVANÇADO E TALVEZ PROFISSIONAL!OBRIGADA!!!!!!!

    • Viviane, para ser bailarina profissional você pode fazer o curso regular, com oito anos de duração, faculdade de dança, quatro anos de duração, ou curso técnico, em torno de dois anos e meio de duração. Sobre a modalidade de dança, depende o que você quer. Você será profissional daquela dança específica, de acordo com o que você escolheu para estudar. No caso da faculdade de dança não, já que ela abrange a dança em si. E em alguns casos, isso também acontece com o curso técnico.

      Beijos.

  49. Nossa, eu comecei ballet aos 15 anos e assim, me apaixonei de um jeito que todo dia batia uma tristeza por ter começado tão “velha”, hoje tenho 18 e passei dessa fase de dançar apenas com o objetivo de ser profissional, eu amo ballet por esses 3 anos que venho dançando, não pelos anos de possível sucesso que nunca aconteceram, você não tem noção de como eu fiquei feliz em achar um blog que compartilhe das mesmas emoções que eu já tive ou ando tendo, parabéns pelo texto, e não achei nem um pouco destruidor de sonhos não, beijo.

  50. Olá Cássia,
    meu nome é Vivian, eu tenho 15 anos, e comeci no ballet clássico no mês passado. Era um sonho que eu tinha desde pequena… tenho acompanhado seus posts, e sua história, fiquei admirada com sua força de vontade. Queria muito entrar para o Bolshoi, mas acho que minha chance já passou, enfim… é isso.
    Parbéns pelo seu blog, é incrível!

  51. Olá, Cássia
    Me chamo Bruna, sou uma jovem de 21 anos..
    Meu sonho sempre foi dançar ballet, mas , por circunstancias da vida não pude realizar.
    Estava aqui na net pesquisando sobre, queria algo que me dissesse (sinceramente) se ainda há tempo para este sonho se realizar. De forma alguma, não tenho pretenção de ser uma bailarina profissional, gostaria de praticar só pelo prazer de dançar mesmo.
    Foi quando me deparei com sua página, muito interessante por sinal e animador.
    Gostaria de saber de fato como foi para você começar, por onde e como começou, em relação as dores, com a idade que tenho consigo chegar a sapatilha de ponta?
    Desde já agradeço, e aguardo anciosamente resposta =D
    Um Grande Abraço..

    Bruna(:

    • Bruna, desculpa a demora em responder, mas vou aprovando os comentários e às vezes há perguntas que não percebo. Desculpa mesmo. Começar para mim não foi um problema. Eu estava pesquisando sobre aulas de dança do ventre, na mesma escola havia ballet, pensei “Já queria mesmo, por que não fazer as duas?” e aproveitei. Os questionamentos só começaram nas aulas, quando a professora sempre me colocava como “exemplo” para as outras: “Oras, mas olha a Cássia! Se ela começou…” Eu já passei por três escolas, com métodos diferentes, professoras bem diferentes. No fim, o que ficou foi minha vontade em fazer ballet. Em relação às dores, por incrível que pareça, sinto mais dor quando não faço aula do que o inverso. O meu corpo fica muito mais feliz quando se mexe. Sobre as sapatilhas de ponta, fique tranquila, eu comecei aos 28 anos e estou nas pontas. Sem dúvida, aos 21 anos você chegará facilmente. A questão das pontas tem muito mais a ver com as questões físicas do que com a idade. ;)

      Beijos.

  52. Olá Cássia,
    meu sonho é ser bailarina profissional também! Eu tentei me imaginar já como seria: treinos diários até á noite, dores por todo o corpo, borboleta na barriga na hora de subir ao palco… Mas eu acho que não podia querer mais nada para toda minha vida! Toda a gente diz: vá para médica ou arquitecta… mas o ballet … é aquilo que me faz sentir. E passo toda a hora pensando nisso.
    Mas na minha cidade é tão complicado. Eu tentei entra no ballet o ano passado e a escola estava lotada. Eu fiquei para morrer quando a senhora de lá me disse que não havia vagas. Eu estou com 14 e mais um ano de atraso… Eu logo pensei que poderia ir para a capital onde tem escola de dança. As aulas são diárias e temos as disciplinas escolares lá também. Mas e meus pais? Eles nunca deixariam e ficariam tristes… E depois como iria ser aceite nessa escola se eu ainda não danço? Se tudo o que tenho por enquanto é uma enorme paixão pelo ballet?
    Mas eu vou-me forçar ao limite e dar tudo por tudo para conseguir entrar numa companhia … talvez no estrangeiro.
    Beijinhos Cássia. :)

  53. Olá Cássia,

    Ai, eu estou apaixonada pelo ballet há mais de dois anos. Não é muito, eu nem tinha o sonho de ser bailarina desde pequenina, não, é um amor recente, mas extremamente forte. Sou como tu, dedicada ao máximo, não falto às aulas, tenho maillot, faço coque, sei o nome de todos os passos, estudo os exercícios das minhas duas professoras, nunca estou cansada demais para a aula mesmo depois de um dia de escola e trabalho. Tenho aulas três vezes por semana, num total de quatro horas. Acho pouco. Tão pouco… Só de estar a falar nisso o meu coração está a pular, e isto acontece-me muitas vezes. Sou perfeccionista, quero tudo bem feito e quero feito já. Às vezes consigo, outras é mais difícil e aí torno-me até severa comigo. Não nasci com o físico para ser bailarina, mas não tenho medo da dor, aliás após cada aula sinto uma dor diferente… Não tenho medo de alongamentos hard core, não tenho medo de me levar ao limite.
    Isto tudo seria normal se eu não tivesse este desejo enorme de entrar na Escola Superior de Dança e me profissionalizar. Chega a doer quando eu penso nisso. Eu não quero ser primeira bailarina nem poderia ter essa pretensão, isso eu sei que não é possível, nem sequer corpo de baile, a minha vontade não é dançar numa companhia. Eu só quero aprender tudo, abarcar tudo e poder ensinar. Ser professora era o que eu gostava. Poder fazer da dança uma grande parte do meu dia, da minha vida e poder partilhar com outros este amor. Tenho consciência da dificuldade, sei que não é comum, não é normal, mas talvez eu ainda não tenha amadurecido o suficiente, porque eu quero isto com tanta vontade! O meu coração simplesmente não aceita um não, embora eu tenha já tentado acalmar o desejo e conseguido com certa medida de sucesso, até agora ao estar aqui a escrever tudo isto…
    Eu amo dançar, a dança passou a fazer parte de mim como pessoa, sem ela eu já nem me identifico. Eu quero sempre sentir o prazer de me descobrir num movimento, de ser perfeita por um segundo, eu quero dançar na vida, dançar a vida. Então, eu vejo que tudo o que tu escreveste é super realista, eu sei que sim, mas para mim já não basta ter as minhas aulas ao fim da tarde como passatempo ou prazer, eu estou viciada e quero mais. Então, o que é que eu faço? Recalco os meus desejos e tento esquecer deixando, quem sabe, passar uma oportunidade, ou vou em frente, tento, arriscando uma decepção?
    Esta é a minha visão, é diferente da da maioria ou da de todas vocês.
    É inquietante esta onda de emoções, mas para além destas palavras de tudo o que eu possa dizer, vocês sabem o que eu sinto.

    Beijos para todas!

    • Vanessa, o que você nos conta não vai contra o que relatei. “Eu não quero ser primeira-bailarina”, você disse. A questão do meu post é justamente essa, a de ser uma bailarina profissional de uma grande companhia. Você querer estudar de maneira aprofundada não é, nem um pouco, fora da realidade. Especialmente porque você quer dar aulas, quer estudar mais e isso está completamente de acordo com o que pode, e pela maneira que você relata tudo apaixonadamente, vai acontecer. E não tenho dúvidas que vai. O meu questionamento realista é sobre ser top no mundo do ballet clássico profissional, que privilegia a soma de físico + técnica + talento + vocação. Fora isso, todos os caminhos são possíveis. ;)

      Grande beijo.

  54. Nossa! eu ADOREI esse texto. Me identifiquei muito mesmo!
    Parabéns! Parebénss pela coragem de dizer a realidade que apenas enxergamos.
    Comecei tarde também no ballet. Tenho 20 anos, e comecei a dois anos, mas AMO muito, é apaixonante, tocante. Sabemos, envolvente!
    E porque não posso dançar só por esses motivos.*(como se fossem poucos adjetivos). É um assunto que sempre me incomodou, não tenho e nem poderia ter a ilusão de ser a nova Cecilia Kerche, mas o amor por essa arte pode ser passado adiante, ou comparado ao amor que tantas e tantas bailarinas tardias ou veteranas espalhadas pelo mundo tem.
    O ballet me orgulha, tenho orgulho de dizer que sou, mesmo não sendo a primeira bailarina do Bolshoi, sou bailarina, me sinto assim e também quero dançar sempre. (=

    Um beijo, seu blog é excelente!

  55. e um a pergunta ; se balairina e o meu maior sonho ,mais onde eu moro nao tem escola de bale pois moro na sona rural , tenho 14 anos como eu faço?

    • Joyce, sinceramente, não sei. Você quer ser bailarina, não há escolas de ballet onde você mora, o jeito seria estudar em outra cidade. A questão é: você tem 14 anos, existe alguma chance real de acontecer isso? Se a resposta for negativa, tenha paciência. Um dia você conseguirá estudar ballet como todas nós.

      Grande beijo.

  56. Oi Cássia!
    Brigadão pela resposta.
    Ah, sobre ser mais solta eu falo considerando o tempo que faço dança do ventre (desde 2006) hahaha. Imagina com 2 meses de ballet não sei nem os nomes ainda…
    Adoro seu blog e seus textos e tb tô super feliz com essa possibilidade do ballet “tardio”
    bj

  57. Olá ! Faço ballet numa grande companhia!!! Lá tem uma aluna que já faz ballet há 12 anos , 3vezes por semana, mas atenção, ela nao se formou em ballet, não se profissionalizou, ela continua fazendo aulas de ballet lá , com a mesma professora há exatos 12 anos e dá aula de ballet para baby. Detalhe: Ela não prestou exames, não fez um curso regular, não tem diploma algum , nada, e dá aulas de ballet…Ela simplismente nao quis, mas teve uma puta oportunidade de levar a sério, e se fizesse isso, hj seria uma grande bailarina profissional, dançando numa grande companhia. As vezes é muito dificil de entender e até aceitar como alguem deixa escapar uma oportunidade como esta. Digo isso pq sempre estou impecavel nas aulas, vou as aulas como quem vai a uma apresentação, e esta minha colega não, ela vai as aulas há 12 anos sem nem prender os cabelos devidamente como manda o figurino. Sempre leva um esporro do professor, mas nem liga, com ela é na base do ”nem aí”…. mas dá uma raivinha , vc consegue imaginar??? Acho o ballet tão nobre, mas tão especial pra nao ser levado a sério, acho uma falta de respeito pessoas que nao o encaram com seriedade, independente do seu objetivo nao ser uma bailarina profissional, ainda assim, acho que quem decide fazer ballet só por fazer ou por vaidade é muito, mas muito pouco. Tem que ter comprometimento, paixão, AMOR, RESPEITO pelo ballet, que é algo que beira a perfeição!!!! bjs

  58. Cássia,
    Eu também sonhava ser bailarina quando criança, mas depois apenas queria fazer aulas de ballet. Durante anos era impossível achar uma turma para adultos, mas agora felizmente existem várias opções. Não tenho pretensão de me tornar bailarina até porque tenho 36 anos e estou no segundo mês de aulas. faço apenas 1 vez por semana, mas estou felicíssima porque minha professora (a Ana, do blog ballet adulto) é excelente e sabe a diferença entre ser bailarina e professora. Ela exige, mas estimula e não me desanima apesar das minhas limitações.
    Também faço dança do ventre. Não tenho talento para nenhuma das duas práticas rsrsrs Até consigo “repetir’ os movimentos, mas dançar, ter leveza, é outra coisa. Infelizmente o que mais me desanima é q muitas pessoas (algumas professoras) não entendem que vc possa querer fazer aula apenas pelo prazer de dançar sem pretensão de se tornar bailarina profissional. Ter o prazer de tentar ser mais leve mesmo com toda a dificuldade e “trava corporal”. Não é porque vc não tem talento/físico que não pode tentar né?
    Também me sinto uma vovó desengoçada! Fora a minha total falta de memória pra aprender o nome de cada passo…rsrsrs
    Mas estou super feliz e só o que quero é continuar fazendo as aulas e evoluindo um pouquinho de cada vez.
    bj

    • Jac, você é aluna da Ana! Nós conversamos sempre. Eu também já fiz dança do ventre e gostava bastante. Ah, mas eu penso o seguinte, tirando a questão profissional, todo mundo pode dançar quando e o que quiser. Não precisamos ter talento, tampouco físico, para fazer algo que nos beneficie e nos faça feliz. Agora, vem cá… Você queria estar completamente solta e leve com apenas dois meses de aula? Hehehe. E vovó onde, moça, você tem apenas 36 anos! Qualquer dia eu colocarei aqui o vídeo da minha primeira apresentação de ballet, após cinco meses de aula. Eu ria, mas eu ria. Supertravada, não fiz quase nada direito, mas dancei e foi importante demais para mim. Nem se preocupe com isso, a dança é amiga do tempo. Não se cobre tanto. ;)

      Grande beijo.

  59. Kol, estude acerca dos grandes bailarinos profissionais, pesquise as suas histórias e veja que, sim, os tops nasceram com predisposição física. Não podemos esquecer que dança é a arte mais esportiva que existem. Se para ser atleta é preciso ter físico para isso, não podemos achar que para o ballet não existe. A Darcey Bussell, por exemplo, foi “recrutada” por ter um corpo de atleta. Há sim quem tenha se dedicado a vida toda e não tenha saído do corpo de baile. É bacana você pensar que físico não muda nada, mas porque você não pretende ser profissional. A realidade lá fora é muito diferente disso.

    Beijos.

  60. Apesar de estar apaixonada pelo ballet, não sou dedicada a ponto de estudar ou praticar a dança mais que 2 vezes por semana, como muitas de vocês.
    E tenho consciência de que jamais serei bailarina profissional, apesar de que no fundo sei que seria simplesmente maravilhoso poder viver o dia inteiro fazendo somente isso… tipo: tenho que trabalhar hoje – vou dançar! :)
    Mas eu sempre pensei que atingir o topo fosse somente fruto da dedicação. Não uma dedicação iniciada tardiamente, é claro, mas a dedicação de alguém que se iniciasse no ballet aos 8 ou 9 anos de idade.
    Eu não consigo acreditar que alguém que não tenha nascido com um físico X ou Y não consiga nunca atingir o topo. Talvez seja até pela minha falta de estudos acerca do assunto, mas será mesmo que todos os TOPs do mundo são TOPs porque já nasceram assim? Será mesmo que nenhum TOP tenha nascido “normal” e atingidido o topo em razão da dedicação de uma vida inteira?
    Eu prefiro acreditar que físico não significa absolutamente nada… mas acredito que as meninas estudiosas desse blog possam me ajudar a acreditar naquilo que for realmente, real.
    Obrigada parceiras!
    Bjokas

  61. Descobri seus posts recentemente através de uma das minhas pesquisas na net. Tenho 18 anos e sou do Espírito Santo.Desde pequena sonhei fazer balé. Infelizmente não pude fazer antes.Hoje me matricularei numa escola aqui do estado.Estou muito feliz por saber que finalmente consegui iniciar o balé clássico. Eu fiquei mais feliz ainda por descobri esse blog, por que já me achava uma “vovó” (rsrs) para o balé clássico. Adoro seus posts…e admiro sua coragem!
    Li muitos posts antigos, mas confesso que gostei muito desse…
    Faz agente se atentar para a nossa verdadeira realidade!
    Espero que eu consiga descobri se há a desenvoltura necessária!
    Graaande beijo
    Juliana Castro

  62. Como é bom olhar as coisas dessa forma, não gera decepções e frustrações futuras.
    Quando fui procurar academias, houveram algumas que me olhavam de cara feia e dizendo que não haveria a possibilidade por causa da idade, n havia ballet para adultos!
    Graças a Deus encontrei uma onde fui recebida muito bem e assim como eu tinha outras meninas mais “velhas’ que também estavam começando!
    Assim como vc comecei tarde a fazer ballet (com 21 anos), nas primeiras aulas tinha vontade de sair correndo, me sentia o patinho feio e sai das aulas muitas vezes chorando e pensando em desistir! Mas minha determinação era maior e eu permaneci!
    Hoje praticamente 5 anos depois, entre algum tempo q tive q parar á veo o frutos, as mudanças no meu corpo, entretanto algumas permanecem as mesmas e sei que isso não vai mudar!!!!!
    Me identifiquei demais com vc, porque também sou completamente apaixonada pelo ballet, me esforço ao máximo, porém conheço minhas limitações e sei que muitas coisas não vão mudar!!!
    Mas eu continuo tentando…hihihi

    Adorei o texto!
    Um grande beijo.

  63. No fundo, Cássia, o que vc escreveu é fruto de seu amadurecimento e bom senso. E essas são ferramentas necessárias em todas as situações de nossa vida. O problema é que nem todo mundo gosta de amadurecer e exercer o bom senso na frente do espelho. Preferem o caminho mais fácil de achar que por ser ‘arte” pode ser mais fácil e que todos ao redor serão mais tolerantes com seu desepenho profissional. Só gente jeca proíbe os “não dotados” de dançar. E só gente acomodada não aceita as exigências para a profissionalização. Há espaço para quem não será profissional da dança e quer dançar. Mas esse espaço ainda precisa crescer.

    [ ]‘s

  64. Hoje vc pegou em um ponto crucial… Sou administradora, sempre fui, mais quando pequena sonhava em fazer do ballet minha profissão, e hoje adulta consciente que sou, descobri que não tenho o tipo físico para isso, hoje meu foco é dar o meu melhor e ultrapassar os meus limites sempre, claro aprimorar mais para passar as minhas alunas, eu levo o ballet muito a sério, tanto na minha vida como nas minhas aulas como professora, vamos indo um passo de cada vez, primeiro conquistando aqueles movimentos que imaginávamos que nunca faríamos, depois dançando no repertório dos nossos sonhos (mesmo que não sendo a principal), o importante é temos consciência que seremos bailarinas pra sempre independente de onde vamos estar.
    O ballet na minha vida é só mais um complemento para ela se tornar perfeita.

  65. Lelê, eu também tinha esse sonho quando criança, a primeira coisa que pensei em ser na vida foi bailarina. Porém, se mantivesse isso, como seria a minha vida hoje? Uma mistura de tormento e decepção. Adorei o que você disse: “Sou bailarina, não?” Claro que é! Somos. :D E estamos bem felizes por isso, porque sabemos e reconhecemos o limite entre o sonho e a realidade. Mas que eu queria ter a classe da Tamara Rojo, ah!, eu queria! Hehehehe.

    Doce beijo.

  66. Nossa Cássia, que texto!
    Me pego pensando bastante nestas coisas também. Me pego sonhando também, mas um sonho mesmo, não com aquele gosto de realidade, de eu vou conseguir. Tenho total consciência do meu papel como bailarina. Sou dedicada (até chata), mas também quero o ballet como algo para a vida, não como profissão. Dentro da sala de aula sou bailarina, mas as minhas aspirações são outras… a minha profissão é arquitetura… e pronto. Isso não diminui meu amor pelo ballet, nem aumenta, são duas coisas diferentes de uma vida só.
    Eu falo sobre o meu sonho, porque era meu sonho de criança, ser bailarina. É claro que naquela época, me via como uma primeira bailarina… mas de certa forma, realizei o meu sonho. Sou bailarina, não? rsss
    Sempre vou ter que pensar e repensar isso para mim, mas sei o espaço que o ballet ocupa na minha vida e o que quero dele. E isso me basta, me deixa feliz… e pelo que li do seu texto, você também sabe!
    Beijos!
    lelê

Os comentários refletem a opinião dos leitores e não correspondem, necessariamente, à opinião da autora do blog.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 467 outros seguidores